frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

segunda-feira, 3 de março de 2014

AMOR, PAIXÃO E DELÍCIAS





Primeiro o olhar, com um leve alçar das mãos
Depois mergulhar pela sua pele,
A respiração sobe ofegante... 
Uma contração. 

Prelúdio dos beijos não dados, apenas desejados 
O corpo ansioso pelo toque ardente 
Na pele um arrepio, que na ponta dos dedos se sente 
O ar enriquecido por sentimentos despertados

Um sorriso quente pela primeira vez 
o perfume no ar tinha um quê da sua nudez
alguns sussurros, tão íntimo seu 
que percorria meu corpo 
afinava meu desejo... 
E desabrochou num beijo.


São lábios rosados, molhados, se encontrando 
São olhos fechados que os sonhos vão embalando
No roçar de lábios, na troca de salivas. 
Num encontro de línguas,no afago dos dedos 
Despertando arrepios enquanto a pele alisa 
Descobrindo nesse toque deliciosos segredos. 

Prendendo seus lábios nos meus 
como se fossem as bocas, taças
degustando uma na outra 
o vinho 
numa delicada sucção 
contornando os cantos com a ponta da língua 
acompanhando a respiração 
para o prazer seguinte... 


Nesse jogo novo, ardente e gostoso
Que envolve o corpo e a mente
Em versos de amor e sedução 
Num fluido doce e quente 
Que molham o poema de paixão 
E despertam doces desejos 
Em segredos e fantasias 
Derramando amor em poesia 
Pensamentos sem malícias 
Que ouso chamar apenas de... Delícias!

(NLC E CHAGAS NETO )

Nenhum comentário: