frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

domingo, 9 de março de 2014

CHOVI EM VOCÊ



Tornei-me nuvem espessa
E chovi com meus desejos,
Em teus cabelos, nos teus pelos.
Umedeci teu corpo suavemente
lambendo tua pele, loucamente
Entre sussurros e gemidos
Senti-me água fervente
a deitar de modo atrevido
no teu corpo rijo e quente.


Viajamos em nossos segredos,

Em delícias mergulhamos sem medo.
Misturamos nossas línguas em beijos
bocas, peles, alucinadamente.
Enlouquecemos a libido...
Saciada, recolhi-me aos céus
na ânsia de um dia chover novamente...

( NLC )

2 comentários:

Paulo Pereira disse...

Isso não é chuva. É deveras uma louca tempestade. Perfeito poeta. Aplausos mil.

Unknown disse...

A chuva, no seu resultado, narrada com a mais pura consciência! Lindo Poetizar, Poeta NLC.


Emmanuel Almeida