frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sábado, 8 de março de 2014

LABIRINTOS



Se me encontrares por aí,
Avisa-me,
Porque também procuro por mim.
E diga-me onde estou...
Ajuda-me,
A chegar até mim. 
Se me achares no labirinto, 
Conduz-me, 
Ajuda-me a descobrir o que sinto 
Leva-me a ver a realidade 
Ensina-me, 
O caminho que me mostre a verdade. 
Se me avistares pela rua 
Resgata-me, 
Provavelmente estarei nua 
Acorrentada, sem poder escolher 
Liberta a essência do meu ser... 
Salva-me 
Da minha vida e de mim!! 
Se cruzares o meu caminho, 
Recorda-me 
De um tempo que ainda não nasceu... 
Sacode-me, 
pois a esperança há muito se perdeu. 

( NLC )

2 comentários:

REGINA DA CONCEIÇÃO MADEIRA GÔDA disse...

Querida Nara, o seu blog está especial. Mostra a inspiração talentosa que a poeta tem. Parabéns, felicidades. Sucesso sempre.

Beijos carinhosos

Regina Madeira

SOLIDARIEDADE disse...

A vida é um eterno labirinto e a diferença é que os sentimentos experimentado, sofridos e guardados em nós nos permite, com o tempo, encontrar o caminho de volta, para ciclicamente nos perdermos, sempre. O problema é quando a gente teima em não voltar.
Bela elegia as dores da dúvida, NLC.