frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sexta-feira, 7 de março de 2014

ME ESCREVENDO DE VOCÊ






Não quero que escrevas poesias no papel.
Quero todas as letras do teu corpo no meu,
E que desenhe estrelas no meu céu.

Traça o meu desejo com o teu,
Escreva-te dentro de mim,
Numa cor que ninguém mais leu.

Adorna com tuas letras os meus seios,
Com desejos nos teus dedos, em mim
E leia todos os meus anseios... 

Desenha com teus lábios a minha boca,
Perdida e entregue a ti
Em línguas numa viagem louca.

Tuas mãos deslizem por meu corpo,
Passeando como a pena de um poeta
Escrevendo os teus versos pouco a pouco.

Ávidas mãos a percorrer,
E teu corpo no meu corpo, a rima certa 
Na superfície da  pele só prazer.

Escreve em mim palavras úmidas, 
Com o puro prazer que a poesia oferta,
E recolhe o mel das grutas mais profundas. 

 (NLC )

Nenhum comentário: