frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sábado, 1 de março de 2014

UMA LUA NO MEU QUINTAL



Feito uma menina travessa
Vivo inventando loucuras...
Em tudo procuro beleza
Um dia desses, peguei a lua.

Num impulso, de repente
Fingindo ser natural,
Espetei num alfinete
E pendurei no varal.

E então em pensamento
Pus-me louca a sonhar
Esqueci todo o lamento
Vendo a lua balançar.

E quando o vento soprar
Com uma suavidade tal,
A lua vai quase encostar
Na grama do meu quintal.

E eu não terei medo
De ser ridícula assim,
Por revelar um segredo
Da criança que há em mim.

E um dia quando for mais velha
Arrancarei a lua do varal
Enfeitarei a minha orelha
Como uma jóia muito especial. 





( NLC )

Um comentário:

Escreverati De Luca disse...

Linda e singela poesia!