frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sábado, 5 de abril de 2014

DESENCANTO



DESENCANTO

     Quero a cidade vazia
                  O clarão do dia
                 Me ofusca a visão
                 Tira-me toda ilusão
                 Lateja minha cabeça
                Sinto a alma ainda presa
                    E meu corpo cansado
               Coração bate apertado
          Vejo o medo estampado
      E o mundo desencantado
  Meus sonhos amarrotados
Espalhados pelo chão


                                                          (NLC )


2 comentários:

Paulinho Shampoo disse...

'Puro sentimento expresso em belas palavras, também me sinto assim as vezes.
Beijos Poetisa

Alberto Valença Lima disse...

Menina, tens muito talento. Parabéns!Amei quase ao acaso conhecer-te. Um beijo carinhoso.