frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 1 de julho de 2014

CRESCENDO




Calei os sonhos

E acordei para a vida.

Cresci, que pena,

Deixei de ser menina!

E agora o que farei?

  Viverei!!!

Sonhos?!

Sim, terei.

E talvez em alguma noite, quem sabe,


Nos sonhos mate a saudade,

Daquela menina que andava comigo.

E quando de manhã acordar,

Terei nos lábios um sorriso triste,

Um gostinho de saudade,

Ao ver que ela não mais existe.

E no peito nascerá uma enorme vontade

De chamar a menina pra pertinho,

E tê-la dentro de mim,

E lhe dizer bem baixinho,

Que bom que você está aqui,

Pois eu sonhei que cresci...


NLC

3 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Muito bom dia amiga de versos..
e quando vem este crescimento parece que nossa essência fica nos confins do tempo..
sofremos sim com a doce idade que fica lá atrás e agora que julgamos ter entendimentos mais da vida temos que saber que a criança dentro de nós sempre viveu e viverá..
só temos que deixar ela aflorar de novo.. buscarmos ela para brincar de balanço..
bjs e até sempre

Lapidando Versos

Nilson Ferreira disse...

Vejo nesse poema cenários: Sonhos que mudam, mas não deixam de ser sonhos; Vida que cresce, sem perder os movimentos da vida; E o tempo que passa, enquanto passo pelo tempo.

Lucy Mara Mansanaris disse...

Acho sim que com os dias vamos perdendo um pouquinho mais a criança que há em nós, mas, também acredito que basta apenas um sonho para que ela volte a reinar...

Que os teus sonhos sejam todos de alegria e muita fantasia, invocando pra realidade, todos os melhores momentos...

Amei teus versos miga... Parabéns sempre! beijos em teu coração que amo, lu.