frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

segunda-feira, 7 de julho de 2014

(IN)VERDADES












(IN)VERDADES



Num caminho de retas e curvas


E de curvaturas




 Há tantas verdades



Com peso e medida



Que são mentiras.... Despidas.






Um caminho de ( in)verdades



Com delicados disfarces



Molhadas alegorias



Na chuva da realidade



Que cobrem  almas vazias



de fantasia...




( NLC )

6 comentários:

Nilson Ferreira disse...

Um tom de leveza nas palavras, com versos certeiros no coração. Você escreve muiiiitooo! ADOREI, RETAS E CURVAS E DE CURVATURAS... Bjo poetisa linda,PARABEEENNNSSSSSSSS !!

Yehrow disse...

Lidar com palavras certas nas horas extremas, podem ter soluções esgotadas mas nunca se deve deixar de dizer alguma coisa a respeito. Mesmo que um insignificante "Protesto". Parabéns, por mais essa obra.

Yehrow disse...

As verdades, as vejo sempre como um bruxuleante estado da alma que a recebe, ou seja, nem sempre é aquilo o que queremos ver ou ouvir. Do universo que nos cerca, penso que deveria ser a única que não deveria ter o oposto. Lindo seus poemas, nos remetem a reflexão. Bom dia Narinha!

Yehrow disse...

Linda poesia. A verdade, penso, deveria ser a única no universo que não deveria ter um oposto. Seu poema nos remete a refletir!
Quando houver um tempo, mesmo breve visite adonispoesiaseprosas.blogspot.com deixe um comentário, sugestão ou critica. Você Narinha é sempre bem vinda!

Anônimo disse...

Nice post. I was checking constantly this blog and I am impressed!
Extremely useful info particularly the last part :) I care
for such information much. I was looking for this certain information for a long time.
Thank you and best of luck.

Stop by my weblog ... cheap hosting india

RACIONALISMO - ERA OU SEMPRE FOI? disse...

interessant a constatação dessa realidad da vdd, amei poetisa, sua modelagem dessa (in)vdd