frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sábado, 20 de setembro de 2014

CORPO EM BRASA




Teu corpo seja brasa


E o meu a casa


Que se consome no fogo.


Um incêndio basta


Pra consumar esse jogo


Uma fogueira chega


Pra eu brincar de novo !




Alé, das Siglas - NLC Poesias

4 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde poetisa.. e nesse jogo o fogo nunca apaga srrs
quando os corpos se entrelaçam as chamas se elevam as alturas.. o nosos auro se enche de cores.. pena que não as vemos.. bjs

Anna Lúcia Gadelha disse...

Boa tarde, poetisa linda!

Relendo sua bela poesia. Na releitura nos encantamos mais ainda com seu talento.
Parabéns!
Bjs

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...esse teu "corpo em brasa" é ardentemente sedutor! / Meu carinho.

Moacir Luís Araldi disse...

Perfeito poetisa. Obrigado pelos comentários adoráveis aos meus textos em meu blog. Parabéns pelo teu talento, bjos.