frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

ENTRE DOIS PONTOS




Entre dois pontos,
Há muitas curvas,
Muitas voltas…Muitas dúvidas!
Reinvento caminhos,
Busco um novo destino,
Antigos pergaminhos
 Muitas vezes sem sentido…
Entre dois pontos,
É preciso muito cuidado
Para não perder jamais,
O encontro marcado,
Entre horizontais e verticais.

Eu faço curvas,
Entre dois pontos,
E apreendo outros pontos
No vazio entre dois pontos.

Levando a vida em curvas,
Fugindo sempre das retas,
Que tentam ditar as regras,
Em verdades que nunca são puras...
Ainda sigo buscando
Nas curvas que tracei,
De um plano cartesiano
Onde o “ X ” eu nunca encontrei.
Seno, cosseno... Me pergunto
Por que sempre presentes aqui,
Quisera viver num mundo,
Sem tantos problemas assim.
Vivendo em busca de respostas
Calculando a razão da emoção
Onde “X “ e  “ Y “ são sempre incógnitas,
Na tangente do meu coração.
( NLC )

5 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde poetisa.. descreveste muito bem as ligações.. buscas e fugas.. sempre estamos perseguindo algo.. e quando encontrarmos será dentro de nós mesmos..
ler sobre x e Y não curti não rsrs
não curtia eles nas contas.. era meu problema na escola rsrs
bjs e até sempre

O Uirapuru disse...

Linda poesia, uma forma diferente de poetar, que vc consegue com tanta graça. Parabéns!

SOLIDARIEDADE disse...

Acho que passamos boa parte da vida, tentando decifrar signos, ou equacionar sentimentos irredutíveis.Acho que equivocamos-nos quando queremos mensurar nossos sentimentos. Essa conta nunca fecha, NLC.
Abraços, Poetisa

Anônimo disse...

Olá, linda poetisa! Que linda tua poesia! E, assim, revirando páginas de criptografias e letras escarlates, vimo-nos na imensidão da dúvida sobre nossos sentidos. ;)

(Homero de Luca)

Lucy Mara Mansanaris disse...

Boa noite amiga.
Acho que não importa quantas curvas existam, desde que, no final do caminho o encontro seja com a nossa verdade, não a do outro.
Que possamos seguir sempre em frente, sem medo de ser feliz...
Linda obra, parabéns!
Beijo, lu