frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

IDENTIDADE POESIA




Se o meu corpo inerte encontrarem

E dos pulsos cortados, só letras jorrarem
E poucas rimas me sobrarem...
Se nada houver para me identificar
CIC, RG ... Ou número de celular
Nesse dia só lhes peço
Reconheçam-me pelas letras e meus versos
Pois são toda a minha identidade
eles  falam na realidade
Da minha vida e de mim....
Observem  o que tem neles escrito
Pois dizem quem eu sou, e como vivo
Nos sentimentos  traduzidos
Melhor identidade não há

E se depois de lê-los
Puderem compreendê-los
Sei que irão então falar :
É ela! Conheço sua poesia!
É a poetisa que viveu a sonhar
E morreu dentro da sua fantasia.
( NLC )


4 comentários:

SOLIDARIEDADE disse...

Identidade poética é inegável, para pessoas que expressam sentimentos e palavras de forma tão natural como tu, NLC.
Mas, quando, por um acaso do destino, não mais estiveres entre nós, não tenha dúvidas, psicografa seus novos versos, para o deleite e saudade dos que ficaram.
Abraços, Poetisa.

Nilson Ferreira disse...

Adoreiiiiii!!! Vou pelo som novamente, IDENTIDAD(e) POESIA. Você linda poetisa dialoga com as palavras. BJOO

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...a leitura de ti faz um bem danado a qualquer sensível intelecto! / (...tens uma marca poética muito peculiar -e encantadora, e se versos teus que não tenham "assinatura" eu ler, já posso dizer -com toda a certeza: ...é ela! conheço sua poesia!) / Carinhos menina.

YAGO SILVA disse...

Aplausosssssssssssssssss de pé, escrever poesia é como andar de bicicleta , depois que se aprende já mais se esquece.O tempo é a metamorfose dos seus pensamentos e seus versos são lapidado a cada rima bem escrita com imenso talento.

Bjos Linda....

Yago