frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

NAS ENTRELINHAS DO OLHAR




Repousa sobre mim, por um segundo,
esse olhar de mar esverdeado
Transforma assim o meu mundo
em um mundo lírico, encantado... 



E eu repousarei poeticamente o meu mar
em seu olhar doce, íntimo, maravilhado
de intenso brilho farei do seu luar
algo mais belo que um céu, um espetáculo!



Que o espetáculo refletido neste céu
E as letras mais lindas, derramadas no papel
Preencham o meu luar agora irradiado
Fazendo rima nesse olhar esverdeado 



Assim, tão bela eis que nasce a confiança
Nas janelas da alma aberta à doce esperança
revestirei enfim os versos destes lábios véus
com esta admirável flor que um dia saiu do papel
 


(NLC e Emanuel Angelo)


6 comentários:

Angelo disse...

Que lindo o brilho dos teus olhos ao me olhar / Em teu sorriso ao ganhar os versos meus... Ficou linda demais essa poesia nas entrelinhas dos olhares mais poéticos. Um dueto realmente inesquecível, minha poetisa! Amei, bjosssssss

Samuel Balbinot disse...

Boa noite Nara.. versos muito bem definidos e envoltos por um sentimento verdadeiro.. parabens aos dois.. uma linda noite poetisa bjss

Nilson Ferreira disse...

Repouso de palavras adoçando versos,
A poesia invadindo o coração
De quem lê. PARABÉNSSSS.

Chagas Neto disse...

Sempre bom ler-te querida Nara querida. Beijos

Katia Marques disse...

Uau... ficou lindo demais, amiga !!! Maravilhoso dueto, parabéns para ambos !!! bjs

Yehrow, Adônis, ou quem quiser eu seja. disse...

Sempre maravilhando o mundo da poesia com seus versos plenos de encanto. Meu terno abraço poético.