frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 4 de novembro de 2014

ASSIM SOU EU


Sou assim mesmo 

Às  avessas,

Sem pé nem cabeça 

 Imperfeita 
As vezes sou completamente outra
 
E não há o que se possa fazer...

Não quero que desatem meus nós

Alguns são de estimação 

Não preciso que  me ensinem o caminho 

Talvez nem vá na mesma direção 

Nem para o mesmo destino

Sigo no meu mundo de ilusões

Bem mais à direita das tuas razões 

Meu caminho é mais longo, e mais difícil
 
Mas é o mais perto 


das minhas  convicções.

É bom que mantenha  
distância
 
Minhas motivações podem ferir

Costumo  morder a mão que me

 Alimenta... 

NLC

4 comentários:

Angelo disse...

Olá, meu anjo! Adorei vir te visitar e encontrar essa poesia intensa e verdadeira, trazendo em cada verso as suas impressões digitais mais autênticas de sua marca registrada, que é o talento puro! Amei, bjs

Samuel Balbinot disse...

Bom dia poetisa querida..
dizeres em versos onde tb pude me ver..
assim são as palavras.. nos mostram caminhos e maneiras de entendermos a nós mesmos.. bjs

Nilson Ferreira disse...

"Não quero que me desatem os nós, alguns são de estimação". Ler você poetisa a gente adormece em Clarice e acorda em teus versos sentindo a suavidade do teu ser.

Cada dia me impressiono mais.

Bjoo!

Sonia Gonçalves disse...

Nossa consegui...que poema lindooooo sonhoso, gostoso, deliroso!!!Amei tanto que inventei nossas expressões para a língua...Impressões linguais...Lindo demaisss Beijossss