frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

NUVENZINHA







Já foste branquinha e  fofinha
Agora pesada pra chover
E o meu  sonho é um dia
Numa cordinha te prender

De algodão doce colorido
Faz-se escura e pesada pra valer
Parece um pouco comigo
Cabe tantas em você

  Tornou-se escura e perigosa
A nuvenzinha companheira
 Rápida veio, e já vai  embora
Pois é núvem passageira

NLC


2 comentários:

Nilson Ferreira disse...

Ah! Se pudéssemos prender as nuvens... E se pudéssemos ajuntá-las e com as mãos as guardasse num cantinho nosso...
Esse é um sonho meu também, poetisa.
BELO RECORTE QUE VOCÊ FEZ DO UNIVERSO.

Yehrow, Adônis, ou quem quiser eu seja. disse...

Olá Narinha, linda sua poesia. Em nosso universo poético bem que podemos não só prender nuvens bem como tingi-las em todas as cores, reuni-las e também espargi-las no infinito de nossa imaginação.