frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

ONDE ESTÁ A POESIA?


Rimas tortas
Soneto triste
Frases mortas
O verso não resiste...

Alma calada, agoniza
Escrevo sem inspiração
Verbos tristes, rima vazia
solitários, chorados em vão

Palavras vazias,
Com sabor de fel
Onde está a poesia?

Se eu tivesse um barquinho de papel
Nessa tempestade navegaria
E aportaria no cais do esquecimento
Onde todos os desabafos, de agonia
Seriam levados pelo vento...

E eu então perceberia
Num suspiro profundo  e lento
Que ao nascer do dia
Todo o meu  lamento
Transforma-se em poesia...


4 comentários:

Nilson Ferreira disse...

Que precisão com as palavras, poetisa. O tom de imaginação centrado em todo o poema, cria no leitor um cenário, no qual passa pela pscologia da criação e finaliza na filosofia: "Onde está a poesia?" Uma indagação que faz o leitor guardar em si o poema e depois carregá-lo em seus sentidos. E, onde está a poesia? Acho que está no coração de quem sente o mundo com leveza e traduz essa beleza em palavras. Bjo, encantado com o poema, e com a precisão das palavras.
Bj.

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...aqui! / Meu carinho.

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde querida Nara.. a poesia primeiramente esta dentro de nós.. em nosso pensar.. não precisa de rimas nem métricas.. precisa de sentimento.. rimas é métricas são aperfeiçoamentos.. agora a pureza que temos em nós e passar isso em versos é que faz a poesia ser o que é.. bjs e até sempre

Yehrow, Adônis, ou quem quiser eu seja. disse...

Linda e inspirada, apesar de considerar em seus versos que ela"a poesia", não aconteceu. Beijos!