frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

BRINCANDO COM MEUS VERSOS



Essa boca atrevida
Molhando o meu verso
Afoita e lascíva
Conjugando o meu verbo

Essa boca ensandecida
Deslizando entre beijos
Penetrando em minhas rimas
Traduzido  meus anseios

Livre e lúbrica entre os versos
Brincando essa boca  teima
Escreve desejos inconfessos
No corpo do meu poema






2 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Bom dia poetisa querida..
admiro muito a leveza dos teus versos..
és fantástica com as palavras.. é um canto sempre..
adoro ler-te.. bjs Nara

Joilson Pessanha disse...

Mais uma bela poesia bem sensual que nos encanta a leitura. Parabéns e um abração.