frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

segunda-feira, 31 de março de 2014

AMOR EM POESIA

Pelo habitat de tua vertente,
Deslizo minhas mãos pelo seu corpo
E decifro o enigma existente
No teu ser que me alicia em conforto.
 

Tuas mãos a descobrir os meus segredos
Traduzem em braile as minhas consoantes
Nos teus versos sinto o gosto de teus beijos
E te provoco com minhas rimas insinuantes


Os teus lábios são labirintos
Que me envolve em salivas de amor,
Elevando-me pelos instintos
Entre os suores tomados em frescor.


Os meus lábios acolhem os teus verbos
Despertando nossa insana fantasia
E percorro o teu corpo com meus versos
Enquanto fazemos amor em poesia

Afagos
teus já me acolhem
No instante em que me vejo renascer
Dos laços que nos recolhem
Em devaneios que nos tomam em prazer.

Possua
meu ser com  movimentos loucos
Corpos suados, vozes roucas soltas ao ar
Nossos desejos aderidos um dentro do outro
Entre gemidos, nosso gozo vem nos banhar
(NLC  &  Homero de Luca)

sábado, 29 de março de 2014

AINDA HÁ FLORES NO JARDIM





AINDA HÁ FLORES NO JARDIM


Os sonhos que se vestiam de amores,
Fizeram silêncio em meu ser,
Caminho por um jardim sem cores,
Com um vazio que não era pra ser.

Olha os caminhos atapetados de flores
Deixa-os entrar no âmago do teu ser
Verás que é um jardim  multi cores
Que guardam teus sonhos e o viver.

Eu sinto murchar minhas flores
Gritando socorro dentro de mim
Ecoando em todas as  dores
Essa  tristeza que hoje senti.

Ajudarei-te a regar as tuas flores
Puxar-te-ei com firmeza pela mão
Realizarás  teus sonhos e amores
Terás o abrigo deste amigo irmão.
   
( NLC e EEMANUEL )

sexta-feira, 28 de março de 2014

VONTADES


Há uma sede renascida e refundada

De salivas misturadas,

Gemidos abafados, alta madrugada. 

Há um silêncio contido 

De desejos reprimidos 

De caminhos não conhecidos... 


Há uma fome submersa de águas profundas 

Busca incessante, vazio que não acaba nunca! 

Uma fome úmida da entrega completa, 

De portos vazios, de portas abertas. 


Desviar das rotas já traçadas 

E fazer escolhas ousadas. 

Há um cansaço de rotinas 

Vontade de dobrar novas esquinas, 

Uma torrente de palavras que vivem a gritar 

Num silêncio contido de mar 


Há uma  escuridão de noite na alma 

Um buraco negro a engolir meus sonhos 

Livre, apenas nos versos que componho 

Busco na poesia a minha calma... 

( NLC )

quarta-feira, 26 de março de 2014

AMOR DE BEIJA FLOR




AMOR DE BEIJA FLOR

Beijou a flor desabrochada
E lambeu cada pétala umedecida
Lambuzando-se do mel que a encharcava

( NLC )

quinta-feira, 20 de março de 2014

POESIA E PRAZER

 


POESIA E PRAZER

Faço-me fêmea pra seduzir-te à luz da lua
Tiraste o meu sono, a roupa e o sossego
Banha-me com teu cheiro, faça-me tua
Molha-me com teus carinhos e beijos…

Atendo ao seu chamado, de pronta excitação
Te derreto ao meu toque e ao som de minha voz
Mergulhado em volúpia, sinto teu gosto suculento
E à luz da lua, cedo à sedução que me impõe...

Traça versos em meu corpo com teu corpo
Escreve em mim como se fosse num papel
Carimba em minha pele pouco a pouco
E prova da doçura do meu mel...

Assino as marcas de prazeres emersos
em teus poros, com carícia e tesão.
Escrevo, em teu corpo, os meus versos
Preenchendo-a e levando-a à combustão...

Prazer na ponta dos dedos, poesia por todo o corpo
Penetra-me fundo, palavras e sentidos úmidos
Versos em movimentos loucos
Que saciam os meu lábios túrgidos

Penetrar-te com Minh'alma e Corpo
Sempre fora nossa intenção
Chegando a mil e um delírios loucos
E devaneios grandiosos de excitação


(NLC E WILLIAM MESQUITA)

terça-feira, 18 de março de 2014

PALAVRAS QUE MATAM



PALAVRAS QUE MATAM

Então acaba-se a  poesia
os desejos adormecem
 a música silencia
o verso se perde,
 a beleza não contagia,
A fala já não serve
Esvai-se a alegria .
Com palavras se mede
O desejo que na alma ardia,
Há palavra que são breves
Quando ditas… Ou quando não  ditas.
Palavras que somem e que nunca mais aparecem,
Palavras que marcam!
Palavras que matam!

 
(NLC Poesias)

ESCOMBROS




Derrubei o muro...


Me feri nos tijolos

que Caíram em mim!


( NLC )

segunda-feira, 17 de março de 2014

FAÇA DE MIM TEU MAR



Faça de mim o teu mar

E venha como um barco a navegar.

Em minhas ondas, sem rumo 

Sem saber onde vais, 

Prova os meus humos, 

Cheire os meus Sais, 

Depois aporte no meu cais... 


Atraque assim a tua âncora 

E a prenda firmemente, 

Balance ao sabor da minha onda, 

Em doces movimentos lentamente. 

Nas águas do meu corpo 

Navegue de norte a sul, 

Desfrute agora um pouco 

Desse agitado mar azul... 




domingo, 16 de março de 2014

BATALHAS E CONQUISTAS




Desembainhei a minha espada,
lâmina afiada,
bramindo no ar.
Ouço, o som sibilante,
Cortante,
Que a força faz ao rasgar o ar.
Minhas armas empunhei,
ferozmente lutei,
Derrotar os inimigos eu tentei !
Inimigos visíveis, inimigos ocultos,
Inimigos vestidos, uniformizados,
Poderosos e armados!!
Me senti lesada, 
Dominada,
Derrotada,
E minhas esperanças despedaçadas.
A luta é insana,
Infrutífera, mas não me detenho
Ás vezes minha mente me engana
Mas combato com as armas que eu tenho... 
Uma espada ao alcance da minha mão
São meus poemas que compõem meu universo
E nas lutas que combato, a única solução
É afiar as minhas lâminas em prosa e em verso.

( NLC )

sábado, 15 de março de 2014

INSONIA


INSONIA


Tantas histórias vivas e mortas
Papéis de cartas, palavras tortas
Insonia na madrugada!!! 
Confusão em mente e dedos calados
Nos teclados.
Difícil expressar sentimentos, 
Apesar de senti-los tão intensamente, 
É que expor a alma nos torna frágeis de verdade 
Dizer o que se pensa às vezes assusta
Expor os sentimentos parece loucura
E gera conflitos de personalidade. 
Há sempre os que criticam e os que entendem, 
Os que amam e os que odeiam, 
E às vezes odeio e amo amargamente
À você, à mim... À gente!!



( NLC )





sexta-feira, 14 de março de 2014

DESENGANOS



Quanto de mim nunca dei...
Com medo de não ser amada
Quanto de mim eu guardei,
Por medo de ser machucada
Num cofre eu me enterrei,
Sem guardar as coordenadas.
... E agora? 
Sobrou-me nada.


Sobrou-me nada.
...E agora?
Sem guardar as coordenadas
Num cofre eu me enterrei,
Por medo de ser machucada
Quanto de mim eu guardei,
Com medo de não ser amada
Quanto de mim nunca dei...


( NLC Poesias )

quinta-feira, 13 de março de 2014

ENGANOS

ENGANOS

Às vezes sou mar

Noutras sou rio
Tentando remar
Às vezes eu rio
E bebo o luar
Num mundo vazio
Vivendo a sonhar
Às vezes sorrio...

Às vezes me engano
Sozinha comigo
Me sinto oceano
Vagando sem abrigo
Às vezes eu grito,
Pra ninguém ouvir
Então eu desisto
E me deixo submergir
( NLC )

terça-feira, 11 de março de 2014

DESEJOS APENAS


Às vezes,à noite faço um poema,
De desejos apenas querendo sentir
Mas,em dias como hoje,eles são tema
De versos que na verdade poderiam existir.

E há um vazio de amargura,
Sinto fome e sede de verdade.
Às vezes sou menina imatura,
Às vezes uma mulher com vontade.

Tem horas que só sei ser menina,
Tem horas que desejo ser mulher,
Mas a vida que sempre me ensina,
Que é preciso lutar pelo que se quer.

Mas por medo guardo meu coração,
Falta coragem pra largar as algemas,
A alma tantas vezes foge da paixão,
Por ter medo de se ferir apenas


domingo, 9 de março de 2014

CHOVI EM VOCÊ



Tornei-me nuvem espessa
E chovi com meus desejos,
Em teus cabelos, nos teus pelos.
Umedeci teu corpo suavemente
lambendo tua pele, loucamente
Entre sussurros e gemidos
Senti-me água fervente
a deitar de modo atrevido
no teu corpo rijo e quente.


Viajamos em nossos segredos,

Em delícias mergulhamos sem medo.
Misturamos nossas línguas em beijos
bocas, peles, alucinadamente.
Enlouquecemos a libido...
Saciada, recolhi-me aos céus
na ânsia de um dia chover novamente...

( NLC )

sábado, 8 de março de 2014

LABIRINTOS



Se me encontrares por aí,
Avisa-me,
Porque também procuro por mim.
E diga-me onde estou...
Ajuda-me,
A chegar até mim. 
Se me achares no labirinto, 
Conduz-me, 
Ajuda-me a descobrir o que sinto 
Leva-me a ver a realidade 
Ensina-me, 
O caminho que me mostre a verdade. 
Se me avistares pela rua 
Resgata-me, 
Provavelmente estarei nua 
Acorrentada, sem poder escolher 
Liberta a essência do meu ser... 
Salva-me 
Da minha vida e de mim!! 
Se cruzares o meu caminho, 
Recorda-me 
De um tempo que ainda não nasceu... 
Sacode-me, 
pois a esperança há muito se perdeu. 

( NLC )

sexta-feira, 7 de março de 2014

ME ESCREVENDO DE VOCÊ






Não quero que escrevas poesias no papel.
Quero todas as letras do teu corpo no meu,
E que desenhe estrelas no meu céu.

Traça o meu desejo com o teu,
Escreva-te dentro de mim,
Numa cor que ninguém mais leu.

Adorna com tuas letras os meus seios,
Com desejos nos teus dedos, em mim
E leia todos os meus anseios... 

Desenha com teus lábios a minha boca,
Perdida e entregue a ti
Em línguas numa viagem louca.

Tuas mãos deslizem por meu corpo,
Passeando como a pena de um poeta
Escrevendo os teus versos pouco a pouco.

Ávidas mãos a percorrer,
E teu corpo no meu corpo, a rima certa 
Na superfície da  pele só prazer.

Escreve em mim palavras úmidas, 
Com o puro prazer que a poesia oferta,
E recolhe o mel das grutas mais profundas. 

 (NLC )

quinta-feira, 6 de março de 2014

ERA UMA VEZ



ERA UMA VEZ...



Houve um tempo de sonhos

Príncipes, castelos, Luas e sóis
Bordados em seda, girassóis
Onde desejos eram um carrossel
O amor tinha sabor de mel
Mas o tempo cruel destroçou emoções
Rasgou de todos os corações
As vontades, as verdades
E lágrimas de saudades
Choveram do céu

Deve ter sido nesse tempo
Que o amor fugiu daqui
E no reino encantado
Príncipes desencantados,
E castelo abandonado...
Do céu choveu saudade
Gotas geladas sem fim,
Molhando o meu jardim
Matando todas as vontades
Que viviam dentro mim.

( NLC Poesias)

quarta-feira, 5 de março de 2014

(A)MaR INFINITO


Adoro olhar o mar

E acho linda a forma dele se declarar

Quando abraça a areia

Levando e trazendo

A espuma de sal
O sal do desejo
Com o sabor do beijo
E seu cheiro de amor!
No movimento de ir e vir...
O mar torna-se amante apaixonado
Abraçando a areia
Beijando-a com ardor,
E parecem trocar carinho
Fazendo amor devagarinho...
E quando a onda se derrama pra amar,
E cobre a areia totalmente
Deixando-a molhada e quente,
Em êxtase a areia deixa-se abraçar
Se entregando loucamente
Por um tempo que parece infinito
ao prazer com que as ondas vêm lamber-lhe
Quase lhe arrancando gemidos...
E depois se vai, lentamente
Deixa-a banhada com sua espuma quente
E a lembrança de um gozo infinito
Que se repete novamente, infinitamente... 
(NLC )

terça-feira, 4 de março de 2014

VONTADES




VONTADES



Um terço de mim deseja


Um terço tem medo, pondera 


Outro terço... Ah! Quem dera!!! 



(NLC )

INTENSOS & IMENSOS LAÇOS



De meu ataúde sinto um perfume sensual, fatal

Seu cheiro, o elixir que fará meu corpo reagir 

Minhas veias e artérias vermelhas a ebulir 

E meu coração novamente encontrar vida, afinal... 


Hoje meio felina venho lhe acordar 

Eis que tua hibernação chega ao fim 

Trago o feitiço que vai te libertar 

Fazer o sangue nas artérias fluir 


Ela se aproxima fugaz, uma arma letal 

Corta cipó, corta folhas, corta magia 

Seu ser é o mais belo sinal 

Que em breve haverá vida no coração de Menellau 


Por uma noite sem luar eu esperei 

O momento certo para me aproximar 

Da magia do luar me apossei 

Para teu corpo despertar quando o tocar 


E a vida ao meu corpo retornou 

Aqueceu minha pele, meu sangue, minha boca 

Peço que sacie minha sede, não com água 

Mas com saliva mágica de sua boca 


Trago desejos na pele adormecidos

Trago sonhos ainda não vividos 

Te desperto com meus beijos molhados 

Aqueço-te com meus toques atrevidos 


Esse momento de intensa paixão 

Une todos os universos em uma só emoção 

Carinho, desejo, amor e paixão 

Menellau e Raiodesol em perfeita conjunção... 



Descobrindo prazeres ao toque da mão 

Que são armas de ataque e defesa 

Dominando o feitiço da sedução 

Faz de mim caçadora, tua presa 


Sobre a mesa de pedra, sob o carvalho milenar 

Agora é Menellau que nos braços esta a carregar 

Aquela que venceu o feitiço dos tempos 

Agora sob o luar seus corpos voltam a se amar...


O guerreiro despertou finalmente 

E sacia teu amor imortal à luz da lua 

E pede ao sol pra não nascer novamente 

Para amar eternamente a tua musa 

( NLC E MENELAU )