frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

O QUINTETO DAS BRUXINHAS (Noite de Halloween)


1039020.jpg


Chegou o dia das bruxas
E eu tô cheia de ser boazinha
Essa historia de fadinha
de purpurina, estrelinhas ,
e pir lim pim pim...
Hoje eu quero ser bruxinha,
Comer morcegos e assombrar velhinhas
Só fazer estripulias
E rasgar a fantasia
Nesse baile vou dançar até o fim
Afinal, amigos hoje é halloween!!

(Cle)


http://www.recantodasletras.com.br/duetos





Olha só,a fadinha querendo virar bruxinha
Só porque é noite de festa
Quer comer de graça
Nem fada,nem bruxinha...
é uma palhacinha!
Mas hoje estou feliz
Vamos festejar
Chacoalhar os esqueletos
Dançar e bagunçar
Estão todos convidados
No meio da morcegada
Vai que eu arrumo um namorado!

(Marinez Novaes)


http://www.recantodasletras.com.br/poesiascomemorativas/5017954



1039022.jpg
Agora seremos um quinteto... Perfeito!
Ser bruxinha é bem mais atraente que ser fadinha
Por isso Mari está sempre contente e saidinha...
Será um encontro de diferentes bruxinhas e ex-fadinha
...Vai rolar muitos doces petiscos e uma variedade de pratos...
Aperitivos nutritivos em forma de sorrisos de lagartos
Pede coelho,  pede pato,  mas cuidado com o pé de sapato,
Muita poção de magia e chá de sumiço á revelia levarei meu gato...
Apertem bem os cintos segurem os magos e as vassouras
A bruxinha do  recanto vai espalhar um charme danado...
Ela tá toda toda quer arrumar um namorado...
Vamos lá bruxinhas, arrepiar os cabelos no helloween
Um brinde...Tim tim!

(Son Dos Poemas)


http://www.recantodasletras.com.br/poesiascomemorativas/5017959
 


1039024.jpg

 
Hoje essa festa promete!!
É noite de travessuras
No halloween tudo acontece
Até fada vira bruxa!!
Onde tudo é permitido
Nada de um baile clássico
E o traje exigido
É a imaginação
É preciso apenas o kit básico:
Chapéu, vassoura e caldeirão.
Vestes negras, olhos pintados, unhas pretas
E o charme de bruxinhas e feiticeiras!!!
Noite de doces, travessuras
E de doces travessuras...
Umas levam o gato
E outras procuram namorado
Beijando todos os sapos
Que se tornam viciados
Em pó de pir lim pim pim!!

(NLC)


1039027.jpg

A  festa vai começar
E o quinteto das Bruxinhas
Esse show vai comandar!
Tem feitiço, tem magia
Esquentando o caldeirão.
Vista a mais bela fantasia
E prepare o seu coração!
Só não vale se apaixonar
Porque somos malvadinhas
Nós gostamos de seduzir
E depois fugir nas vassourinhas.
Venham curtir  com alegria
A noite dos seres mágicos
Fadas, duendes e príncipes
Todos estão convidados!!!

(Dora Estrela)

http://www.recantodasletras.com.br/poesiascomemorativas/5017949

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O VERSO QUE ME QUER


O VERSO QUE ME QUER

Senti entre meus lábios o gosto
Dos versos do teu poema
E bebi cada estrofe, de novo
 Devorando cada rima
Como se fosse minha...

Sussurraste o meu nome,
Baixinho,
Quase num gemido,
Quase em silêncio...
Mergulhei na fantasia
De batizar o teu nome
de Anjo Poesia
Com tuas letras perfeitas
Que enfeitam o meu dia...



TAMBÉM EM ÁUDIO http://www.recantodasletras.com.br/audios/poesias/63597

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

SINTONIA




Faça do meu corpo
A tua poesia
Escreva tuas palavras 
Despertando fantasias
Faça em versos o teu toque
Em minha pele arrepiada
De tantos desejos, tomada...
Na cadência das palavras
Num sussurro enlouquecido
Soletrando em minhas páginas
Tudo que eu tenho escrito.
Vamos compor um dueto
Juntos em perfeita sintonia
Versando os delírios e desejos
Rimando beijos com poesia
Meu mel, teu céu
Meu bem querer
Que só me dá prazer...

( NLC )

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

NAS ENTRELINHAS DO OLHAR




Repousa sobre mim, por um segundo,
esse olhar de mar esverdeado
Transforma assim o meu mundo
em um mundo lírico, encantado... 



E eu repousarei poeticamente o meu mar
em seu olhar doce, íntimo, maravilhado
de intenso brilho farei do seu luar
algo mais belo que um céu, um espetáculo!



Que o espetáculo refletido neste céu
E as letras mais lindas, derramadas no papel
Preencham o meu luar agora irradiado
Fazendo rima nesse olhar esverdeado 



Assim, tão bela eis que nasce a confiança
Nas janelas da alma aberta à doce esperança
revestirei enfim os versos destes lábios véus
com esta admirável flor que um dia saiu do papel
 


(NLC e Emanuel Angelo)


sexta-feira, 10 de outubro de 2014

ANJO POETA


ANJO POETA


Eu rimo de várias formas

Teu nome nesse papel

Mas ele tem rima própria

Só rima com anjo do céu



Pois sabes tocar a alma

Com  palavras tão doces

Falando com leveza e calma

Revelam suaves cores



Em tuas asas há pousada

Onde vive a inspiração

Que em versos é revelada

Pois mora em teu coração


As mãos sabem tecer poesias

E plantar jardins de primavera

Conhecem o segredo da magia

Que perfumam toda a terra



E tecem versos sem igual

Que dançam como o vento

E fazem da poesia varal

De suspensos sentimentos



Decerto um anjo lhe ensina

A compor teus lindos versos

E juntos tecem cada rima

De teus poemas tão belos


(Dedico ao querido amigo 
e poeta Emanuel Ângelo)


( NLC )

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

CHUVA DE POESIA




É tempo de estiagem


Por aqui tudo é tão seco


Embarco então numa viagem


Que me traga aconchego


E os versos de rima tão dura


Viram poema no meu céu


Se tornam gotas de chuva


Libertam-se do papel


E vão molhar as ruas


Encher rios e represas


Molhar a terra e a plantação


E a poesia que era seca


Vira chuva de inspiração


E vejo a rua molhada


O mundo banhado de poemas


Os versos úmidos da madrugada


Transformam-se ao raiar do dia,

Os sonetos que eram enxurradas


Viram poças de poesia

E as letras gotejando dos telhados

São  lembranças dessa insana fantasia. 


terça-feira, 7 de outubro de 2014

PALAVRAS REVOLTADAS




 Minhas palavras ficaram cansadas

Cansadas de mim que as escrevia

Pois muitas vezes fiz rimas forçadas

Querendo dizer o que eu nem sentia




Senti as minhas palavras magoadas

Magoadas comigo que tanto as prendia

À minha vontade sentiam-se amarradas

Em meus versos como eu as escrevia




Então as palavras ficaram revoltadas

Fizeram contra mim uma rebelião

Lutavam para serem libertadas

Por isso matavam a minha inspiração




Mas eu pedi às palavras que me perdoassem

Perdoassem a minha tamanha ignorância

Prometi-lhes a liberdade de se calarem

Com a minha alma em concordância




E eu pedi às palavras que voltassem

E me trouxessem de volta a inspiração

E que nunca mais me abandonassem

Pois não suportava mais a solidão




Eu implorei às palavras, e elas ouviram

Ouviram-me e vieram me perdoar

Mas uma coisa só me pediram

Que nunca mais as impedissem de voar.

( NLC )

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

O POEMA E A BAILARINA

O poema amava a bailarina
E em noites de estrelas e luar,
Compunha versos, inventava rima
E sonhava com ela se casar

Morava nos versos de um soneto antigo
Num velho livro na mesinha de cabeceira
Ela tinha o corpo preso ao mecanismo
De uma linda caixinha de madeira 

Ele encantou-se pelo ritmo mágico
Quando a viu dançar rodopiando
E ela sentiu arrepiar seu corpo de plástico
Ouvindo os versos que ele estava sussurrando


E aquele feitiço que os prendia
Era quebrado na madrugada
Quando o velho livro se abria
Ela se libertava da caixinha fechada

Com seu vestido de seda branco
A bailarina o tirava  pra dançar
Ao som melódico do piano
Ela e o poema podiam se amar

E a magia então acontecia
Pois os versos ganhavam vida
Libertando os amantes da poesia
Que se amavam até o raiar do dia.



( Além das Siglas - NLC Poesias )