frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

domingo, 30 de novembro de 2014

NAS ASAS DA POESIA



Abra a gaveta da poesia
Solte as palavras,  deixe-as voar
E viaje nas asas da fantasia

NLC

terça-feira, 25 de novembro de 2014

CHUVA DE CARINHO



Em solos de incertezas
Caiu  chuva de carinho,
Lavou as impurezas
Amenizando a dor
Devagarzinho...
Fertilizou com beijos
Alimentou a flor
Brotando desejos
E florindo amor.

sábado, 22 de novembro de 2014

O RIO QUE SE FOI




Preocupados em construir pontes

Com arcos a lhe enfeitar


Só isso nos interessava antes


Mas, e o rio, onde está?



O rio mudou-se,


Esqueceu-se do leito


Apagou-se...

Dormiu ao relento

E ninguém notou




Agora procuramos em vão


Uma solução


Para o rio desertor

Aqui só restaram as pedras

Polidas,

Lambidas,

Por um rio que secou


Por socorro ele gritou,

Dia a dia e eu não percebi

Um dia ele se cansou

E agora não quer mais viver aqui





sexta-feira, 14 de novembro de 2014

ONDE ESTÁ A POESIA?


Rimas tortas
Soneto triste
Frases mortas
O verso não resiste...

Alma calada, agoniza
Escrevo sem inspiração
Verbos tristes, rima vazia
solitários, chorados em vão

Palavras vazias,
Com sabor de fel
Onde está a poesia?

Se eu tivesse um barquinho de papel
Nessa tempestade navegaria
E aportaria no cais do esquecimento
Onde todos os desabafos, de agonia
Seriam levados pelo vento...

E eu então perceberia
Num suspiro profundo  e lento
Que ao nascer do dia
Todo o meu  lamento
Transforma-se em poesia...


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

NUVENZINHA







Já foste branquinha e  fofinha
Agora pesada pra chover
E o meu  sonho é um dia
Numa cordinha te prender

De algodão doce colorido
Faz-se escura e pesada pra valer
Parece um pouco comigo
Cabe tantas em você

  Tornou-se escura e perigosa
A nuvenzinha companheira
 Rápida veio, e já vai  embora
Pois é núvem passageira

NLC


domingo, 9 de novembro de 2014

VERSOS ALADOS



NLC.jpg
Quero palavras despidas,
E os versos, ao natural,
Rimas não são exigidas,
Mas, se rimar, não faz mal...
 
Quero a essência da poesia
Não importa que seja dolorida
Expressando agonia ou alegria
Arte que não me deixa oprimida

 
E na essência das palavras
Quero liberdade e precisão
Onde meus versos criam asas
Fazendo do poema imensidão

Versos alados rumo ao infinito
Criá-los me deixam repleta
É um relicário meu manuscrito
Traduzem minh'alma irrequieta


E numa constante procura
Solto meus versos alados
Onde as palavras, uma a uma
Buscam outros significados

Que não se acham no dicionário
Dependem por onde elas volitam
Mesmo  no mundo imaginário
Nossas quimeras os versos realizam


 

NLC             109128.jpg?1413892187
   NLC               AnnaLuciaGadelha

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

ENTRELAÇO





ENTRELAÇO

Em versos eu entrelaço
Um poema feito de espera
Onde o tamanho do seu abraço
É do tamanho da minha entrega.

E deito pertinho da lua
Ao som da música mais linda
Emoções tão minhas e suas
Que não sei explicar ainda


E na longa madrugada
O vento sopra tão brando
Faço das nuvens morada
Nessa cidade de anjos

NLC

TAMBÉM EM ÁUDIO: http://www.recantodasletras.com.br/audios/poesias/63581

terça-feira, 4 de novembro de 2014

ASSIM SOU EU


Sou assim mesmo 

Às  avessas,

Sem pé nem cabeça 

 Imperfeita 
As vezes sou completamente outra
 
E não há o que se possa fazer...

Não quero que desatem meus nós

Alguns são de estimação 

Não preciso que  me ensinem o caminho 

Talvez nem vá na mesma direção 

Nem para o mesmo destino

Sigo no meu mundo de ilusões

Bem mais à direita das tuas razões 

Meu caminho é mais longo, e mais difícil
 
Mas é o mais perto 


das minhas  convicções.

É bom que mantenha  
distância
 
Minhas motivações podem ferir

Costumo  morder a mão que me

 Alimenta... 

NLC

domingo, 2 de novembro de 2014

O MEU RESPIRAR




O MEU RESPIRAR



 Respirei a tua poesia
No amanhecer de emoções tão raras,
Despertou em mim a fantasia
No sussurro de tuas palavras.


Sopraste a poesia, que eu respirei
E voaram notas da mais doce melodia 
Preencheram-me a alma, e suspirei
Em versos de perfeita sintonia.


Nas estrofes do teu poema amar
Em cada verso me refaço
Sedenta do teu respirar 
Recebo o teu afago e abraço.


Em poemas reinventaste a fantasia
Que  vibra em mim todos os sentidos
E respiro em ti a poesia
Presença constante em meus delírios.

( NLC )