frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

CONJUGANDO MEUS DESEJOS



Conjugou-me  por um momento

Os desejos escondidos em rimas

Traduziu minhas siglas e sentimentos

Explorando as minhas linhas

Mordeu-me o  pescoço ...Suspirei vogais.

Despiu-me os substantivos

Sugou-me  todos os verbos

Lambeu-me  os versos

Soletrou minhas rimas atrevidas

Percorreu o corpo da minha escrita

Beijou-me todos os  adjetivos

Se apossou da minha  prosa aberta...
Seduziu-me em verso

 Palavras firmes e grandes.

Vibrando em mim ao final do texto

Leu-me até raiar o dia
 jorrou em mim sem pretexto


Lavando de gozo minha poesia...


(NLC)

5 comentários:

Nilson Ferreira disse...

LINDO
BELO
CATIVANTE
ENVOLVENTE
CAPAZ DE PRENDER
SEM APRISIONAR
IMPOSSIVEL NÃO LER
E DEIXAR DE GUARDAR
MARAVILHOSAMENTE MARAVILHOSO
MARAVILHADO;
EU.

Unknown disse...

A leitura agrada e é motivadora, versos e coxas, poema e toque avassalador, um sonho a ser lido com muito amor. Sensualmente belo sua Poesia, Poeta!

Emmanuel Almeida

Ana Bailune disse...

Parabéns pela poesia belíssima, sensual e digna!

Angelo disse...

Que obra mais linda, meu amor! Simplesmente encantado aqui! Lendo e relendo... "Esses versos me alucinam / em noites e tardes / em beijos suaves / de poesia..."

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida amiga, Ana Bailune !
Maravilhoso poema.
Insinuantemente inteligente.
Sinceros parabéns.
Sinval.