frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

ME DEIXA SER EU





Escondida dentro de mim
Há uma parte que sempre quer ir
Para muito além do que há aqui
Viver a  vida que ainda não vivi.

Vestida de pontos de interrogação
Caminho à sombra da indecisão
Com estoques de sonhos guardados
Mantenho meus olhos fechados.

Mas em noites estreladas eu sentia
Acordando em mim a poesia
E sabia que ela não me abandonaria
E em versos e rimas me transformaria

Não sei se as estrelas o meu destino sabiam
Dos meus bolsos todas as certezas caíram
E o que restou para depois de amanhã
São apenas palavras  loucas e vãs.

Vontade de voltar a ser eu mesma todo dia
E viver escondida nas letras da minha poesia
Transformando-me em versos ao amanhecer
Sendo apenas eu, do jeito que eu posso ser.

NLC

5 comentários:

Emmanuel Almeida disse...

Tens sido mais que versos e rimas, tens sido Poesia, Poeta! Coração aberto, parabéns!

Lucy Mara Mansanaris disse...

Bom dia amiga.
Poesia introspectiva, repleta de confissões...
Gosto muito das interrogações, pois podem nos impulsionar, ampliar o campo de visão, basta apenas não ter medo delas. Amei, parabéns!
Beijo, excelente findi. =)

Lucas Santos disse...

Tá bom... Eu deixo! Um beijinho para ti poetisa

Yehrow, Adônis, ou quem quiser eu seja. disse...

É gostoso demais e com suas digitais.

André Gomes Shell Capoeira disse...

Gosto muito de ler teus escritos! Leves e sensacionais... Sempre... Abração!!!