frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sábado, 14 de fevereiro de 2015

DESABAFO




Voz das letras

Gritando versos

Morrendo no papel

NLC

2 comentários:

Emmanuel Almeida disse...

A esperança mantém o verso final.

Antenor Rosalino disse...

Nas entrelinhas da poesia que te diviniza os teus ideais serã construtos eternos, NLC. Logo, você não morrerá jamais. Meus efusivos parabéns pelo teu lindíssimo versejar e pelo maravilhoso blog. Meu abraço de carinho.