frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quarta-feira, 13 de maio de 2015

DOCE (DE)LEITE




Doce deleite dos teus braços
Beijo de saliva, lambuzado
Dedos contornando os traços
Desatando os meus laços 


Boca que sufoca gemidos
Dedos atrevidos que enlaçam
Deslizam... Eriçando os sentidos
Vasculham, exploram, encontram


Entre suspiros e promessas 
Envolta em lençóis de cetim
Um desejo que não cessa
Um prazer que não tem fim...


Jorrando da fonte desejos
Provo o doce que me banha
Entre suspiros e beijos
Dessa loucura tamanha

NLC poesias

2 comentários:

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...eu gosto muito de doce de leite,...e assim ainda mais, ...me deixaste com água na boca! / Meu carinho.

Anônimo disse...

Belo e excitante poema, cara poetisa. Parabéns! Abraço. ( Giovanni Pelluzzi )