frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quarta-feira, 13 de maio de 2015

MISTÉRIOS DE UMA SIGLA



Pergunto-me nas noites escuras,
Quando virá a primavera
Acalento com brandura
Tantos sonhos e quimeras.
Um enigma em minhas mãos
Que por vezes me escorrega
Brilho intenso,facas cegas
Sangue e suor de orações
Em conflitantes emoções.
Trago riscado nas palmas
As dores da minha alma.
São mistérios bem guardados
Que moram em meu coração
As marcas dos meus medos
Que não saem com sabão
E não há quem possa lê-los...
São mistérios que apenas
Uma sigla há de conter
São letras que fazem poemas
E enfeitam meu viver
São três consoantes apenas
Mistérios de NLC.

(NLC)



2 comentários:

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...pode até haver mistérios nessa tua sigla,...mas, não na tua poesia,...ao ler-te, fica, de pronto, desvendado todo o imenso encantamento que há em cada verso! / Meu carinho, misteriosa menina.

SeJogaNaArte! disse...

=) que bonito estes versos tão bem construidos... que talento.. obrigado!