frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

domingo, 24 de maio de 2015

POETA E POESIA


POETA E POESIA

Tantas noites desenhadas
Em palavras de desejos
Escrevendo em madrugadas
Onde letras viram beijos

Num alfabeto os sentidos
Em poesia são libertos
Onde os versos são gemidos
E conjugam tantos verbos

Em sonhos hão de se encontrar
Numa noite, o poeta e poesia
E poderão então se amar
Entre as rimas de magia

O poema cria corpo
E vai se escrevendo assim
São letras banhadas num jorro
Entre lençóis de cetim

NLC

3 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde poetisa querida..
ambos se fundem num só poeta e poesia..
e como fica lindo tal desfecho..
feliz de quem pode ler.. beijos e feliz sempre Nara

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...Narinha, esses teus poemas em que usas a sutileza para sensualizar, são de um encanto primoroso! ...é de uma excitação agradavelmente prazerosa (...ao menos pra mim)! / ...belo! / Carinhos.

André Gomes Shell Capoeira disse...

Magnífica poesia! Poema de uma doçura ímpar, impecável! Parabéns...