frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sexta-feira, 1 de maio de 2015

SEM ASAS VOEI



Não tinha asas... Mas voei
E o mundo fantasiei
Não era livre...Mas me libertei
E nas nuvens descansei.
Não era real... Era meu sonho
Viajei pra outro universo.
E no poema que componho
É a rima que faltava em meu verso
Não era lógico, e enlouqueci
A loucura se perdeu da razão
Eu quis sonhar e ser feliz
Sem querer explicação
Se foi mar ou furacão
Ainda não sei dizer...
Se é verdade ou minha imaginação
É o que me fez (re)viver
NLC

5 comentários:

Antenor Rosalino disse...

Voejei nas entrelinhas da tua entrega tácita à lascívia e ao amor maior, caríssima amiga. Viva a vida, e deixe a poesia divinizar os teus sublimes sentimentos. Meus efusivos parabéns e um abraço com o carinho e a admiração de sempre.

Sonia Gonçalves disse...

Triste...solitário...mas tão lindo!!!Aplausos minha meiga poeta amiga...Bjoss

Sony Azevedo disse...

belos versos. parabéns pelo blog. desculpe-me a escrita,mas estou sem poder digitar. luz e paz. bjs.

Samuel Balbinot disse...

Bom dia querida Nara.. a poetisa de sempre.. com versos que encantam... sempre vejo muita leveza nos teus poemas.. eles te fazem flutuar e nós tb.. bjs e até sempre

Emmanuel Almeida disse...

Seu Poetizar, seu sorriso sempre foram lindos, o Poema alimenta tudo isso, retornar é a razão de tudo, parabéns !