frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 28 de maio de 2015

# SORRISOS E ASAS #




Plantarei flores em meu jardim

E edificarei minhas paredes

Desenharei poemas em mim 

Palavras sutis, tecendo redes. 

Devagar construirei meus sonhos 

Libertando sorrisos e asas 

Guardarei nas malas pensamentos medonhos 

Com vontade de abrir as vidraças. 

Sairei pelo portão e caminharei pela rua 

E em cada esquina em que eu morrer, 

Nas idas e vindas da lua, 

Que outra vez consiga renascer . . . 

Traçarei um novo rumo 

E nas asas do meu sonho hei de viajar 

Enfrentarei os buracos mudos 

Que querem me impedir de caminhar 

NLC Posias

2 comentários:

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...mágica surrealidade! (...já disse isso uma vez, mas,...vale repetir mil vezes!) / Carinhos.

Emmanuel Almeida disse...

Interessante continuar te lendo, as formas dos versos, a sua linguagem muito pessoal. Criam-se asas e voam sonhos renascendo em cada verso.