frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 11 de junho de 2015

TRAVESSIA



Faço contigo amor,

A mais bela travessia,

No desbravar do deserto

Uma nova poesia!

Amando-te em cada verso

Seu oásis eu seria

Por entre as asas do vento

Suave te seguiria

Nas dunas do teu corpo

Hei de saciar meu desejo

Todo dia, pouco a pouco

Matarei a sede dos teus beijos



Faço contigo amor,

A mais doce fantasia

Toca-me o sol ardente

Banha-me com suas carícias

Entrego-me loucamente

Às tuas puras malícias...

Na aridez dos meus dias

Flores frescas tu plantaste

E os versos da minha poesia

Com doces palavras rimaste...

NLC Poesias

2 comentários:

Alexander disse...

Poema muito bem bolado. Muito bem vivenciado no seu enredo, pelas cordas entre os emaranhados da emoção, do subconsciente e do coração. Dilapidando memórias passadas. Construindo novos significados para o poeta. Novos ares e novas perspectivas, novas esperanças. Amei esse poema seu. "Às tuas puras malícias... / Na aridez dos meus dias / Flores frescas tu plantaste". Se plantou, e quem plantou, parece bem plantado. Com sementes muito especiais... Quem não gostaria que a poetisa fosse seu oásis, né? Parabéns pela criatividade, emoção e escrita sempre bem construída que apresenta em seus poemas. Bjos!

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...essa tua maneira de entrelaçar sensualidade com uma grande dose de pura graciosidade amorosa, me encanta por demais! ...todos os teus escritos são de se admirar, mas, essa tua fórmula "sensualidade/amorosidade" me causa um "arrepiozinho" mais intenso,...seduz-me! / Carinhos.