frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

domingo, 12 de julho de 2015

CÁRCERE




Tinha medo do mundo

Então se protegeu 

Afastou-se de tudo 

E cercas ela ergueu 

Olhava a vida lá fora 

Armadilhas e perigos 

Mas estava segura agora 

Não havia mais riscos... 



Então porque a agonia? 

O desejo de liberdade? 

A tristeza só crescia 

Quando via a realidade 

A cerca que a protegia 

Também trazia ansiedade 

Roubava-lhe a alegria 

Matava-lhe as vontades 


(NLC Poesias)

Um comentário:

Samuel Balbinot disse...

Bom dia querida Nara..
muitos de nós temos medo e ficamos a ver o mundo através de grades..
quando as rompemos a vida passa a ser doce e o amor pode enfim nos abraçar..
bjs e feliz sempre poetisa