frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 30 de julho de 2015

INDECISÕES


/// Ando um tanto pressionada\\\\
Indecisa
Sigo. Entre pontos.
Imprecisa
Às vezes, entre vírgulas,
E até entre travessões – Muitas indecisões –
Abro parênteses (Mas nunca os fecho
Vivo sempre em reticências...
"Entre aspas quero viver novas experiências "
Procuro descobrir um caminho a seguir
Se direita ou esquerda, não há seta
Sigo então em linha reta ...
Mas sem réguas ou esquadros
Faço mil traços errados
E assim tento seguir
Mesmo não sabendo aonde ir

NLC

2 comentários:

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...os teus escritos, como esse, sempre foram de uma magia de encantar,...mas, ultimamente sinto-os mais intensos, mais profundos... / Carinhos.

Samuel Balbinot disse...

Bom dia querida Poetisa..
assim somos todos nós neste plano terreno..
as vezes damos muito de nós e não sabemos ao certo se estamos indo pelo caminho certo..
o tempo sempre se revela e nos revela.. bjs e feliz dia