frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 25 de agosto de 2015

A ILHA E O MAR





O mar ama e deseja 
Desaguar em mil sentidos 
Enquanto abraça e beija 
Seu amor quase proibido.

Percorre-a costa a costa,
De uma forma insinuante
Faz do jeito que ela gosta
E ficam loucos naquele instante

E envolve por completo 
Em movimentos atrevidos 
De desejos inconfessos 
Arranca-lhe doces gemidos

Num vai e vem cadenciado 
Feito carícias pelo corpo, 
Mar de ondas apaixonado 
Possuindo-a pouco a pouco

De forma intensa e gostosa 
Seduzindo entre mil beijos 
Tuas enseadas caprichosas, 
Banhada pelas ondas de desejo 

Penetrando terra adentro 
Provoca sua areia molhada, 
Mar de intensos movimentos 
Deixa-a cansada e saciada

E vertendo os sentidos
Estremece toda a terra 
Soltando doces suspiros 
No corpo que esta ilha encerra!!


(NLC Poesias)

Um comentário:

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...li-te sentindo a sensação de um delicioso "vai e vem cadenciado"! / ...minha querida Narinha, eu tenho a impressão que não há ninguém que escreva sensualidades como tu escreves,...és ao mesmo tempo sutil e avassaladora em teus versos,...e, além de toda a tua intensa sedução, tens também uma imensa qualidade poética,...única! / ...é muito prazeroso e excitante te ler! / Carinhos.