frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

CHUVA DE AMOR


CHUVA DE AMOR



Tentei agarrar uma nuvem, dessa vez 

E transformá-la em uma poesia, 

Na esperança que chovesse versos, e talvez

Uma tempestade de amor nos inundaria



E quando a brisa a tocasse, faceira 

Como uma doce massagem,

Faria dela terna mensageira,

Das mais lindas mensagens 



E choveria delicadamente,

Gostas de poemas e amor,

Assim encharcaria completamente

Esse solo ressecado de rancor.


(NLC Poesias)

2 comentários:

André Gomes Shell Capoeira disse...

Magnificamente belo... Aplausos, Nlc...

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...sábado à noite,...chuvinha intermitente e meio "chatinha",...nada melhor pra amenizar essa "situação" do que vir te ler. / ...poesia de Narinha e um Dry Martini,...pronto! ...tudo perfeito! / Carinhos.