frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

ESPERO-TE



Espero-te numa noite de magia

Espero-te na madrugada sem lua 

Vestindo apenas a minha poesia

Guardei para ti a minha rima nua


Quero-te num sentir desordenado

Corpo e alma num desejo insinuante

Em gemidos e carinhos alucinados

Quero-te agora, nesse instante.


Chegue como um vento embriagado

Se espalhando todo à minha volta

Acolha os meus desejos segregados

Leve as dúvidas, traga-me só respostas...


NLC Poesias


Um comentário:

Anônimo disse...

SERGIO NEVES - ...eu, particularmente, acho que não há ninguém que poeticamente excite tanto quanto tu excitas! / ...o poema está de uma sensualidade estonteante! / (...fica muito difícil não sentir inveja do tal felizardo por quem dizes esperar vestindo apenas a tua poesia,...insinuante e desejosa...) / Carinhos.