frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

FLORES DISTANTES



Eu colho flores distantes 
Nascidas em outros jardins 
Tão perfumadas, inebriantes 
Que as sinto perto de mim 

Recolho pra junto do peito 
Carrego com todo cuidado 
São flores de amor-perfeito 
Que crescem por todo lado 

E faço um buquê colorido 
Amarro com laço de fita 
Em cada flor um amigo 
Nesse jardim chamado vida 

E nessas flores espalhadas 
Por este mundo sem fim, 
Eu encontro anjos e fadas, 
Cuidando um pouco de mim

NLC Poesias  & Artur Macedo

Um comentário:

Lucas Santos disse...

Um show de magia e beleza... Aplausos à ti poetisa... L.S