frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 25 de junho de 2015

COLORIU-ME



Invadiu os meus lábios de vermelho rubro
Num pincel todas as cores sobre mim
Surpreendeu-me num rabisco brusco
Desenhou-me num prazer sem fim


Todas as cores usou
Pincelou-me entre gemidos
O meu corpo assim pintou
Com teus toques coloridos
(NLC)

quinta-feira, 11 de junho de 2015

TRAVESSIA



Faço contigo amor,

A mais bela travessia,

No desbravar do deserto

Uma nova poesia!

Amando-te em cada verso

Seu oásis eu seria

Por entre as asas do vento

Suave te seguiria

Nas dunas do teu corpo

Hei de saciar meu desejo

Todo dia, pouco a pouco

Matarei a sede dos teus beijos



Faço contigo amor,

A mais doce fantasia

Toca-me o sol ardente

Banha-me chuva de carícias

Entrego-me loucamente

Às tuas puras malícias...

Na aridez dos meus dias

Flores frescas tu plantaste

E os versos da minha poesia

Com doces palavras rimaste...

NLC

sábado, 6 de junho de 2015

CANÇÃO DA SOLIDARIEDADE

Vou criando notas no dia a dia
Inventando estrelas à noite 

Cantarolando uma melodia
Da esperança fazendo açoite



Não vejo nada frágil
Quando faço o bem a alguém 

Mesmo que não seja fácil
Fazer o bem, sem olhar a quem


Em tudo que traga amor 
Vou mergulhar me afogar 
Um mundo onde não haja dor
Nessas águas hei de me banhar



Quero ser companhia no frio
Abrir a porta a quem precisar 

Quero servir de abrigo
E ao próximo poder ajudar




Compor e cantar a beleza
Fazer o melhor ao meu redor

Vestir-me de pureza
E falar do amor maior



No além-mar, outra forma de amar
Pés no chão sem pisar nas flores

Plantar um jardim por onde eu passar
E colher somente alegria e amores!!

(NLC & 
André Gomes)

quarta-feira, 3 de junho de 2015

VENTOS DE INSPIRAÇÃO



Ando com saudades de mim,
Com nostalgia, confesso
Que em dias assim
De vento frio de inverno
Sinto que de mim eu me perdi.
E procuro em meus versos
Algo que me traga à razão
Entre tantos caminhos me pego
Só, em meio à multidão
Esqueço o vento, o frio, o inverno
Viajo para outras tardes de verão
E as lembranças como o vento
Bagunçando meus cabelos,
Embolando os pensamentos
viram letras em meus dedos,
E escapam entre os versos
Livres versos inspirados
Onde vento frio de inverno
E tristes dias nublados
Mudam de estação
Transformam-se de repente
Em versos ensolarados e quentes
Feito tardes de verão

(NLC)