frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 30 de julho de 2015

INDECISÕES


/// Ando um tanto pressionada\\\\
Indecisa
Sigo. Entre pontos.
Imprecisa
Às vezes, entre vírgulas,
E até entre travessões – Muitas indecisões –
Abro parênteses (Mas nunca os fecho
Vivo sempre em reticências...
"Entre aspas quero viver novas experiências "
Procuro descobrir um caminho a seguir
Se direita ou esquerda, não há seta
Sigo então em linha reta ...
Mas sem réguas ou esquadros
Faço mil traços errados
E assim tento seguir
Mesmo não sabendo aonde ir

NLC

terça-feira, 28 de julho de 2015

VERSOS SECRETOS





Vem, desvenda os meus segredos

E descubra  minhas siglas lentamente

Com as letras entre os dedos

Desenhe o meu nome docemente


Teus segredos acho que já devo conhecer 

Pois suas poesias não me canso de ler 

Suas siglas também já são conhecidas NLC 

Só não espere que eu te revele lentamente, 

porque meu sangue é quente...


Teu sangue quente provoca calor

Os teus versos causam excitação

Fantasias e mil loucuras de amor

São versos que alimentam a imaginação...


Sim somos poetas de uma mesma estirpe

somos versos , sangue, imaginamos poesias taradas

Há muito já sabia dos seus desejos secretos

eu lia seus versos de desejos e luxurias , 

E em cada poesia tua eu te via nua.

(NLC & Nereu Airto)
































POESIA NA PELE




A poesia em minha pele
Adere
Gruda, vicia, insere...
Mas não trapaceia
Não diz o que não sente
É como sangue nas veias...
Às vezes quando cala consente.
Visto-me de versos todo dia
E ando pela casa só de meia...


É um vestido justo, a poesia
Modela, revela, aperta
E às vezes acaricia
Valoriza as curvas, insinua
Mas protege o essencial.
Esconde nas vírgulas a alma nua
E se derrama num poema surreal

(NLC)

terça-feira, 21 de julho de 2015

OS SUPER AMIGOS

Fazem parte da minha história

Dos meus sonhos de criança

Ainda hoje vivos na memória 

Enfeitaram a minha infância 

Tantos heróis viviam comigo 

Faziam parte do meu dia a dia 

Sentia-me um dos superamigos 

E tantas aventuras eu vivia 

Entre heróis jovens e antigos 

O maior poder que neles eu via 

Era serem unidos e leais amigos. 

E apesar de super também erravam 

E muitas vezes corriam perigo 

Uns aos outros se ajudavam 

Combatiam juntos os arqui-inimigos 

E uns aos outros sempre apoiavam 

(NLC)

quarta-feira, 15 de julho de 2015

O VERSO E A POESIA



A poesia beijava a boca molhada 
Como saliva não saboreada

Deixava perdido o verso
Entre a palavra e o nada
E nascia o desejo secreto
De ser o tudo da rima perfumada.

Beijava o verso a poesia
Deixando-a de emoção arrepiada
Ele nela, crescia e envolvia
Sentia a pele de rimas, inundada.

Declamava o verso na madrugada
E tocava a poesia enamorada
Beijava-lhe entre as palavras
Bebia-lhe uma sede misturada

E deixava as letras rimadas 
No prazer da língua molhada.

E o verso na boca sem malícia
Beijava a palavra desnudada
Primavera em rimas e carícias 
Jorrava poesia nunca acabada.

NLC

segunda-feira, 13 de julho de 2015

O MURO




Ergueu-se pedra a pedra
Nenhuma passagem secreta
Tornou-se fortaleza!
Forças eu procuro
Para derrubar o muro
Fraqueza...Incerteza!
Nem sei o que procuro...

Se fossemos transparentes
Se fossemos videntes
Se fossem só de amor, 
As sementes
Portas se abririam
Desnecessário seria
Tanto esforço
Em pular o muro

(NLC )



domingo, 12 de julho de 2015

CÁRCERE




Tinha medo do mundo

Então se protegeu 

Afastou-se de tudo 

E cercas ela ergueu 

Olhava a vida lá fora 

Armadilhas e perigos 

Mas estava segura agora 

Não havia mais riscos... 



Então porque a agonia? 

O desejo de liberdade? 

A tristeza só crescia 

Quando via a realidade 

A cerca que a protegia 

Também trazia ansiedade 

Roubava-lhe a alegria 

Matava-lhe as vontades 


(NLC Poesias)

sábado, 4 de julho de 2015

SEM PALAVRAS



Escrever é uma terapia, confesso 

Mas as palavras saem desorientadas, 

E assim, sigo em frente, verso a verso 

Fazendo minhas rimas desorganizadas.



As minhas palavras fugiram todas

Ficaram cansadas de falar em vão

E minhas rimas tornaram-se tolas

Em meus versos sem inspiração



Até a minha poesia perdeu a graça

Como ave sem pouso e sem direção

Com as asas de voar já tão cansadas

Busco uma ultima rima de inspiração


(NLC - Além das Siglas)

quinta-feira, 2 de julho de 2015

VERSOS SUGESTIONADOS




Há poesias,
Que podem ser sentidas na pele,
Pois despertam fantasias
De mãos, bocas e dentes,
E de línguas ardentes...
Sentimos as letras a nos tocar
E nos perdemos entre as rimas
Com desejo de amar...


Move-se entre as letras,
O calor de uma mão,
Com dedos que traçam uma trilha,
E nos deixa aos pulos o coração.
E com a pele arrepiada,
Passeamos entre os versos molhados
Com a mente já sugestionada,
Sentindo o corpo acariciado
Tocado por cada palavra...
Umedecida pelo desejo latente
Do mel que escorre entre os tempos
Passado, futuro e presente,
Em que sonho, fantasia e sedução
Inflamando o meu leito
Dão asas à imaginação...


NLC