frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

BORBOLETA



Inocente
se debate 
Insistente.
Na persiana,
Se embaraça
De voar tem esperança
Se machuca
no cristal esvoaça,
Enroscada na vidraça.
Despedaça suas asas


Vendo o mundo lá fora
Quase pede, implora...
Quer ser livre, quer o vento
Pra esquecer todo lamento
E ter asas pra voar...



E a borboleta
submissa e obediente
De repente
virar a bruxa,
tão malvada
Dissimulada
Quer voltar a ser lagarta
No casulo se esconder...
NLC

terça-feira, 25 de agosto de 2015

A ILHA E O MAR





O mar ama e deseja 
Desaguar em mil sentidos 
Enquanto abraça e beija 
Seu amor quase proibido.

Percorre-a costa a costa,
De uma forma insinuante
Faz do jeito que ela gosta
E ficam loucos naquele instante

E envolve por completo 
Em movimentos atrevidos 
De desejos inconfessos 
Arranca-lhe doces gemidos

Num vai e vem cadenciado 
Feito carícias pelo corpo, 
Mar de ondas apaixonado 
Possuindo-a pouco a pouco

De forma intensa e gostosa 
Seduzindo entre mil beijos 
Tuas enseadas caprichosas, 
Banhada pelas ondas de desejo 

Penetrando terra adentro 
Provoca sua areia molhada, 
Mar de intensos movimentos 
Deixa-a cansada e saciada

E vertendo os sentidos
Estremece toda a terra 
Soltando doces suspiros 
No corpo que esta ilha encerra!!


(NLC Poesias)

sábado, 22 de agosto de 2015

EMBRIAGADA




Teu prazer saboreei


Na Tua taça, cheiro e gosto


E me embriaguei...


( NLC )

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

ASAS DE ANJO OU ASAS DE DRAGÃO





Voei livre com minhas asas

Num voo sem direção

Minhas asas que eram de anjos
Hoje são asas de dragão
Meu voo é uma fuga
Ou apenas ilusão?
Prefiro não saber
Agora não!
Só quero que meu par de asas
Me leve pra imensidão
e me tire dessa escuridão...

NLC Poesias

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

PROVOCAÇÃO



Provocou-me em versos leves


Despertou-me sentimentos



Acariciou-me toda a pele 

Dedilhou-me em pensamento



Em letras lânguidas e ousados

escreveu-me sobre o corpo

Num poema alucinado

Deixando rastro de fogo



De um jeito bem rimado

Construíste doces versos 

Melódicos e cadenciados

Habitou meu universo




Metricamente perfeito

Em verbos subtendidos

Envolveu-me desse jeito

Em desejos incontidos




Roçou-me em carícia atrevida

Aqueceu-me em tuas rimas

Deixou-me cativa e perdida

Com tuas idas e vindas...



(Além das Siglas - NLC Poesias)


domingo, 16 de agosto de 2015

RECONSTRUINDO-ME


Quebrei-me

E doeram-me todos os cacos

Esfaqueei-me

Arrancando-me os pedaços

Abrindo buracos em mim

Doendo e sangrando

Num flagelo sem fim

O coração dilacerando

Não quis mais viver assim...



Remendei-me

Colei os pedaços, sobre a mesa

Como peças imperfeitas

Juntei pedaços de tristezas

Em remendos indecifráveis

Montei o quebra- cabeça

De emendas tão frágeis...


Agora peço a quem me tocar

Que tenha um cuidado enorme

Pois eu posso desmanchar 

É delicado até que cole

Evito toques inconsequentes

Sei das rachaduras que fizeram

E me levam a temer eternamente

Pois emendas, tão fáceis se quebram...

(NLC)




terça-feira, 11 de agosto de 2015

VERDADES & MENTIRAS


Na minha vida de mentira
O  sonho era de verdade
Vivo de sonhos ainda
Mas minto pra realidade.

( NLC )

sábado, 8 de agosto de 2015

O Divino e o Profano


Nas entrelinhas de um poema surreal
Profanos sentimentos se conjugam
Onde Eros, deus do amor sensual,
Habita em versos doces e lascivos
O divino e o profano se misturam
Em rimas que despertam os sentidos...


Se assim amor sorves ... seduzida
Versos, rimas instilam profana sedução.
Nas entrelinhas a sentir-se acariciada
Os sentidos cedem a luxúria... perdição!
Surreal meu poema lascivo a ti habita
Conjugando o divino e o profano tal paixão.


E nos versos que o poema abriga
Vestindo palavras de rimas nuas
Desejos inconfessos em consoantes
Três letras ardentes de imaginação
Desejos escondidos em rimas vibrantes
E palavras molhadas de paixão...

Divina e profana poesia tua arrebata-me.
Versos, rimas que suscitam loucuras, tesão
Revela-te nua... sussurra desejos ardentes
Nas letras inspiram-me secreta sedução...
Ah... palavras, ainda molhadas, sedutoras,
Eriçam-me numa louca e ereta vibração!



(NLC & Eros Profanum)

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

DESAGUANDO





Deságuam hoje os meus versos 

E morrem nas folhas em branco

Deságuam de mim tantos verbos 

Do tempo que vou conjugando

De tantos sentimentos secretos

Que os meus olhos vão inundando 



E percorrem caminhos lendários

Pingam dos versos e se enterram 

Caladas, morrem entre os lábios

Nos túmulos dos meus cemitérios

Em versos vazios e solitários 

No frio dos meus invernos

(NLC)

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

UM NOVO POEMA




Neste amanhã incerto 

O que vou escrever 

Nem sei ao certo 

Mas tento esquecer 

Os planos e metas 

Sempre tão incompletas 

Onde insistia em me perder...



Hora de acordar bem cedo 

E sentar-me silenciosa 

Em frente à tela vazia 

Enfrentar uma dolorosa

Batalha com os teclados 

Calados de poesia 

E sangrar os dedos 

Nos espinhos do medo...




Em cada letra, enfrentando 

E sentir Saboreando 

O doce prazer 

Ao ver um novo poema nascer...

(NLC)