frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 29 de setembro de 2015

SAUDADE DE MIM


No velho álbum de fotografia

Entre as páginas eu encontrei

Na foto aquela que fui um dia

Hoje por onde anda eu não sei



Tinha cabelos livres ao vento

E um sorriso despreocupado

Onde deixei já não me lembro

Já perdeu-se em meu passado



Saudade de andar por uma estrada

Do aroma de flores daquele jardim

De passeios em tardes ensolaradas



Saudade eu sinto de dias assim...

E de repente percebo assustada

Estou é com saudades de mim!

NLC Poesias




quinta-feira, 24 de setembro de 2015

DORES REAIS


Encontrei uma armadura

Imune à espada e punhal

Revestida de amargura 

Sobrevive graças  ao metal.

São punhais bem afiados

Suas armas de defesa

A dureza dos seus atos

Faz parte da fortaleza.

Eu já procurei desvendar

Mas nunca tive certeza

Se poderia pousar...



Usei minhas asas de cristal

Pintadas de várias cores

Pois nessa selva digital

São reais também as dores


NLC Poesias

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

CHUVA DE AMOR


CHUVA DE AMOR



Tentei agarrar uma nuvem, dessa vez 

E transformá-la em uma poesia, 

Na esperança que chovesse versos, e talvez

Uma tempestade de amor nos inundaria



E quando a brisa a tocasse, faceira 

Como uma doce massagem,

Faria dela terna mensageira,

Das mais lindas mensagens 



E choveria delicadamente,

Gostas de poemas e amor,

Assim encharcaria completamente

Esse solo ressecado de rancor.


(NLC Poesias)

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

DIAGNÓSTICO




Em minhas costas um peso !!!

É por causa das asas paradas

Causadas pelos meus medos...


(NLC Poesias)




sábado, 19 de setembro de 2015

NECESSÁRIA POESIA





A poesia não reside na utilidade. 

Ela não está no sol da planta que floresce, 

nem no vento funcional de um moinho. 

Poesia não está na água vital, 

no necessário copo d'água cheio de vida. 

A poesia não ama aquilo que funciona. 



A poesia é pra ser sentida.

É vista somente com o coração

É o que deixa mais leve a vida

E tão necessária quanto o pão

É olhar a beleza que está contida

No resultado de cada ação.



A poesia ama a água da pedra quicando na lagoa, 

ama a pedra das ondas de água na lagoa. 

Poesia ama o vento da brisa na face, 

ama a face dos cabelos perdidos no vento. 

A poesia ama toda a excrescência, 

que, mesmo inútil, não se abdica.



Na inutilidade de tudo sentir

A poesia renasce em cada gesto

Inspirando assim todo o existir

Onde pedra, água e vento viram versos

E a harmonia que habita a natureza e tudo enfim

São partes que compõem o mesmo universo 

(NLC & Marcel Beliene)



terça-feira, 15 de setembro de 2015

ORGASMOS POÉTICO


PASSO A PASSO


Como nota sem rumo numa canção
Ave sem pouso, barco sem porto
Por tantas vezes senti meu coração
Um pouco triste... Um pouco Morto.


Mas passo a passo eu prossegui
Em um chão feito de espinhos
Com passos lentos e certos consegui
Percorrer esse e difícil caminho...
(NLC)

domingo, 13 de setembro de 2015

letras minúsculas



Dos meus olhos caíram ideias equivocadas

Caíram rastros das metáforas minhas

Caíram letras minúsculas, cansadas

Caíram cadentes estrelas pequeninas 



E rolaram em gotas como um denso rio

Quentes a queimar a minha pele sem tom

Deixando marcas em meu rosto pálido e frio

Molhando os meus lábios sem batom

(NLC)

terça-feira, 1 de setembro de 2015

O DIA EM QUE O SOL NÃO NASCEU


Foi no escuro que acordei

E não vi o sol no horizonte

Procurei por todo lado não achei

Talvez estivesse atrás do monte

Ou no meio do arvoredo

Sei lá! Não o encontrei

Temo que hoje ele não virá



Esperei o sol por todo o dia

Por onde ele anda eu não sei

Para iluminar minha poesia

Mas em lugar algum o achei.

E por isso não existe alegria

Nas estrofes e rimas que versei.

(NLC POESIAS)