frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

(IN)CONTIDAS LINHAS



Nas páginas do meu livro tenho lido
Folheado toda noite com cuidado
Os desejos e anseios esquecidos
Que apenas a um toque é revelado

Com os dedos (re)descubro lentamente
Leio em braile os sinais nas entrelinhas
Entre as folhas eu descubro então somente
O gozo, como as letras (in)contidas nessas linhas

Alem das siglas - NLC Poesias

domingo, 27 de novembro de 2016

SÓ POR HOJE




Hoje eu quero seu carinho

Deitar-me quieta em teus braços
Fazer deles o meu ninho
Esquecer todos os passos
Tomar um pouco de vinho
Mesmo que a goles escassos
Embriagar-me devagarinho...


Faça de mim a tua casa
Derrama em mim teu amor
No meio de tanta desgraça
E desta vida sem cor
Faze-me companhia
Escreva-me uma poesia
Nesta noite tão vazia
Seja minha  fantasia.


Enche-me então de graça
Me enlaça
Faz de mim a sua caça
Seja tu meu caçador,
cobre meu corpo com ardor
Numa mistura de amor e dor
Lambuza-me de desejos
Deposita em mim teus beijos
Em meus lábios urgentemente
Entorpece minha mente

Livra-me desta vida sem sabor
Só por hoje , por favor
Sejas meu doce beija-flor!

NLC Poesias -  Além das siglas

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

MEU GRITO



olham-me 

como se de outra espécie eu fosse, um bicho

criticam, julgam e desprezam  como lixo

Como se eu fosse um monstro, 

Não me amparam no meu tombo

E eu encarcerada 

Como uma alma penada 

Num corpo que não é o meu 

Como um sapato apertado 

Cheia de calos, 

Sufocada, asfixiada e cansada . . .


A vida é um fardo e eu sou o grito

O berro, o urro, o erro

Que vivem em mim calados, escondidos

E se transformam em letras de desespero.



Mas às vezes eu ainda penso, brincando 

Que sou uma princesa enfeitiçada

E que um dia vai se quebrar o encanto

E tudo isso se tornará em nada . . .


Além das Siglas - NLC Poesias

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

ENTRE O VIVER E O SONHAR


Estou estudando pra quê?
Leio, releio e faço exercício
Na ânsia de mais e mais aprender
Me concentrar é sempre difícil
A fome é de matemática, gramática
Ou de cozinha gourmet ??


O quê me traz mais esperança?

Observo a vida lá fora a passar

E absorvo Florbela Espanca . . .

Entre o viver e o sonhar

Numa dimensão paralela

Com o pensamento distante

Vejo mais um capítulo da novela
E lembro de voltaire nesse instante . . .
“O senso comum não é nada comum.” 

Aprendo, aplico, compreendo . . . Estudando!
Encontro o "X" da questão
Conjugo o verbo em frases tantas
Viajo nos movimentos da Física quântica . . .
Em pânico! E o ENEM se aproximando!!!


Com a cabeça “no mundo da lua”
Mas  os pés calçados no chão da Terra
A minha poesia adormece,vazia e nua
Assim minha alma caminha,  e não erra . . .



Poesias NLC




sexta-feira, 14 de outubro de 2016

PROFESSOR


O professor na verdade

É um poeta disfarçado

E faz dos sonhos, realidade

Com seu olhar vislumbrado

Ensina mais que matérias

Tem a chave do cadeado

Dos desejos e quimeras

Que podem ser alcançados!!

Sonha que meninos de favela

Venham a ser médicos, advogados

E que a vida lhes seja mais bela...


(NLC Poesias)

terça-feira, 4 de outubro de 2016

EMBRIAGADA








Estupidamente gelada

A cerveja acomodada, 

Entre os lençóis deitada 

Enquanto sua espuma sobe

E o seu copo inteiro sua 

Um pensamento me ocorre . . .



E eu fico imaginando que o copo

É  o corpo da cerveja nua

Com desejos úmidos e calor

Na esperança de que num gole

Os lábios sedentos do teu amor

Beba o gozo que do teu corpo escorre...

(NLC Poesias)

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

PAÍS DA CONTRADIÇÃO



Essa pátria outrora tão amada
Hoje desnorteada agoniza 
Pátria mãe tornou-se madrasta
Em seus próprios passos anda perdida

Despida de seus valores e sua história
Que com sangue e honra foram escritas
Um país sem orgulho e sem memória
Que se esqueceu de suas tantas conquistas

Os que se dizem contra a corrupção
E pedem justiça em altos brados
Também são corruptos sob investigação


Jogam, manipulam e fazem conchavos


E com vergonha, tristeza e decepção
Eu vejo a história sendo escrita
E a justiça nesse país da contradição
Tem dois pesos e duas medidas . . . 


NLC Poesias

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

CONVITE - SARAU ONLINE


Convido a todos os amigos a participarem do I Sarau Online da comunidade Nas Asas da Poesia! Será uma grande festa literária, onde estaremos cantando , em verso e prosa,  as tristezas e alegrias desse nosso amado Brasil!! Acesse o link e participe também!

I Sarau Temático Nas Asas da Poesia

terça-feira, 27 de setembro de 2016

DUETO ALÉM DAS SIGLAS




Permita-me tuas páginas folhear

Desvendar enigmas nas entrelinhas

Escrever um capítulo com minhas

Palavras que irão lhe esquentar (I.M.)



As tuas palavras me causam arrepios

Quando ditas baixinho em meu ouvido

Os teus toques levam-me ao delírio

Quando folheias o que em mim tens escrito ( NLC)



Trocando versos, nasce um dueto

Que logo se eterniza a cada leitura

O sentimento dá um toque perfeito

Em harmonia de sons e estrutura ( I.M)



Perfeição existe em todas as letras

Desse alfabeto que me presenteia

E nesse dueto de rimas tão perfeitas

Teceremos nossos versos feito teias ( NLC)




Te respiro, transpiro... Me inspiro

Nossa dança segue no mesmo passo

Em meio à balada lírica, um suspiro

Que faz dessa poesia um lindo laço ( I.M)



Eu sigo os teus passos nessa melodia

Como sigo os teus versos e suas rimas

Faço dessa  dança a nossa poesia

Te desvendo pouco a pouco minhas siglas ( NLC)



( Ismael Marck & Nlc Poesias)




OBS: Esse dueto faz parte do livro "Desígnios & Desejos",  que será lançado pelo poeta Ismael Marck brevemente! Senti-me muito feliz e honrada com o convite para essa pequena participação

sábado, 24 de setembro de 2016

NOSSA MISTURA



Escreva em minha boca com teus beijos
As palavras que me tiram o juízo
Tuas costas em minhas unhas, desse jeito
Dominada, leva-me ao paraíso

E quando voltar então percorrerei
Cada monte, cada segredo teu
E devolverei de novo e em dobro
Todo
o prazer que o teu corpo me deu.

És o alimento que eu preciso
Nos seus braços encontro meu abrigo
No gosto do teu corpo a minha poesia
E as rimas pra minha ousadia...


Faça-me perder em teus caminhos
Aquece com teus beijos meus lábios frios
O perfume de seu corpo me embriaga
Com o aroma da mistura que o nosso amor exala...

(NLC Poesias)

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

VERSOS CONOTATIVOS





Quando me firo nos espinhos
Eu os retiro, sem problema
Mas percebo em meu caminho
Que alguns só saem num poema 


Espinhos que machucam e dilaceram 
Que a vida nos dá de forma triste 
As palavras, inquietas se desesperam 
Em busca de uma rima que ainda não existe 


Eu sei que para viver entre as rosas 
A tantos espinhos, dia a dia sobrevivo 
Transformo minha dor em poesias e prosas 
Além das Siglas. . . Em versos conotativos 


(NLC Poesias)

domingo, 18 de setembro de 2016

FILHA DOS POEMAS


Hoje niver dessa grande e amada amiga,que me mostrou por palavras e gestos, que amizade e confiança a gente não precisa explicar: só sentir! E  viver no dia a dia em meio a lutas, provações e poesia. E eu tenho a honra de chamá-la amiga! Felicidades e muitas alegrias em sua vida Sonia Son dos Poemas.

sábado, 10 de setembro de 2016

MORRI BOTÃO EM FLOR


Morri!! E sei bem como e porque


Morri sozinha sem você

Não sei o dia nem a hora
Só sei que morri
Morri viva, 
Vivi a vida
Te esperei,
Cansei...

Agora as flores choram tristes soluços profundos
Chora a palhaça,  poeta, de sentimentos  vagabundos
Choro rios, montanhas, aos olhos do mundo.
Mas o meu coração não!

Porque morri pelas suas ausências e desamor 
Morri quando ainda era botão em flor
Desbotei,
Murchei, 
Desenraizei, 

Faltou-me água
Luz, calor.
Faltou-me o seu amor...
Morri!!!

Mas foi há tanto tempo
Sensação que hoje eu nem me lembro
Já morri quando foi embora
Não preciso morrer de novo agora . . .

(NLC Poesias)

domingo, 4 de setembro de 2016

AMIZADE E POESIA



Somos uma numa só amizade
Somos pureza, amor e lealdade
Somos amigas das poesias
A fada e a varinha das fantasias...



Somos assim, amigas
Irmãs e companheiras
Um presente que me deu a vida
Essa amizade tão verdadeira!!


(Simone Medeiros & NLC Poesias)

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Quando fui pássaro



Já fui pássaro, ainda me lembro
Já fui livre e solta ao vento
Por não compreenderem meu voo, nem palavras
Engaiolaram meu verso em um momento
E cortaram das minhas rimas as asas...
(NLC Poesias)

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

VENTOS E TEMPORAIS


As minhas asas são como leves penas

Como as roupas que acenam nos varais


Eu balanço as letras num poema


Brinco com o vento, mas temo temporais

NLC Poesias

sábado, 27 de agosto de 2016

Fênix



Em tempos de agosto, e desgosto
É hora de despedida, enfim...
Eu sinto que renasço pouco a pouco
Já é primavera dentro de mim!!

(NLC Poesias)

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

CONVITE

Convido os amigos  a conhecerem e participarem da comunidade Arena dos Poemas- Sarau, no gmail, onde acontecerá hoje, à partir das 22:30 o I evento da comunidade: Sarau online de ciranda!! 

Cada participante estará contribuindo com uma quadra,  que posteriormente  formará nossa Ciranda da Primavera.

Lembrando que para participarem é necessário tornarem-se membros da comunidade (acessem o link abaixo) Será uma deliciosa festa literária e encontro entre amigos poetas. 

Espero vocês lá!!!


https://plus.google.com/u/0/communities/113440313683071304923


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

VAI E VEM



Ando cansada desse ir e vir, 

Dessas dores e feridas

Esse sair e voltar de mim 

Escrever e apagar a escrita

Acender e ascender os sonhos 

Contidos nessas letras que componho 

De (des)cobrir entre rimas e versos 

Uma história de enredo tão poético

E sentimentos tão complexos

Por vezes desgastantes e patéticos

E no verso que encobre sempre um porém

Faz da rima uma gangorra em vai e vem. . .

NLC Poesias

terça-feira, 16 de agosto de 2016

GOZO CONCRETO



A mão que escorrega
                                     entre as teclas



É a mesma que desliza 
                                    entre as pernas


Ambas em busca de um prazer


                            Que traga gozo ao meu ser  . . .


Os dedos em movimentos 
                                              lentos


Dedilhando no teclado
                                                                                         pensamentos



Trazem para a alma  . . . 
                                           Alento


E para o corpo . . .   
                                         Tormento


Umedecem 

                       sentimentos 

                                                      complexos


Deixando em êxtase meu  poema concreto . . .

(NLC Poesias)

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

SENTIDOS (DI)VERSOS


No meu mundo de palavras não ditas
Caladas ou escritas
As estrofes desenham minha vida
Chegam a mim em forma de versos,
E desenhos diversos
De sentidos inversos...


Chegam a mim de tantas formas
Se reescrevem e se reinventam
Mas não seguem nenhuma norma


Com riscos precisos
De forma bem concreta
Ou traços indecisos
Numa rima incompleta
 

E os versos que  passam  por mim
Não me entendem
Então inventam-me
E invadem-me


Passam por mim . . .
E atropelam-me
E machucam-me
E sangram meu coração
A cada encontro
Que eles me dão…


Um dia  . . . Sei lá
Eu abra minhas asas pra voar
Ou caio, de vez no chão.


( NLC Poesias)



sexta-feira, 5 de agosto de 2016

ALÉM DA EPIDERME




De anseios e desejos vestida
O meu corpo por seu toque ansiando
Faço hoje uma rima atrevida 
Com a pele arrepiada vou versando 

Em movimentos decididos sentindo 
Cansei de nessa vida me conter 
Raros são os sentimentos despertos 
Na minha ousadia te faço me querer 

Quero sua incontida ousadia 
Derramada sobre minha epiderme 
E que leia toda a minha poesia 
E teus versos arrepiem minha pele 

Sensações transcendendo os arrepios 
De prazer a vida começamos a preencher 
Faço do teu corpo ninho e poesia 
Nos meus versos íntimos te faço viver


(NLC Poesias & Edy Simão)

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

RASCUNHO



Tão longe de mim,

já não me reconheço,

Vou vivendo assim

Com a alma ao avesso...


Pois são tantas as vezes já

Em que busco um recomeço

E se paro pra analisar

De mim mesma eu me perco...


Fico esquecida da vida,

dessa, que deveria viver,

rascunho então uma saída

para não enlouquecer...

(NLC Poesias)

terça-feira, 26 de julho de 2016

ALÉM DOS POEMAS




Olhei em volta e percebi então
Outros versos além dos poemas
Ouvi as batidas do meu coração
E ví que palavras são letras apenas
Não tem sangue, vida, nem emoção
São rabiscos de momentos mal traçados
E posso dar-lhes qualquer entonação
São traços fáceis de serem apagados
Deletados ao toque das minhas mãos



E a inspiração que morria em mim
Renasceu como o sol na minha janela
Livrou-me do frio que havia aqui
E fez da minha vida aquarela
Onde a poesia ainda persiste
Apesar de tudo, apesar da vida
E rimas às vezes de cores tristes
Não desbotam minha alma colorida
E eu sei que a alegria ainda existe
À espera de dobrar novas esquinas...

(NLC Poesias)

sexta-feira, 24 de junho de 2016

O BARCO DOS MEUS SONHOS



Nos momentos em que já quis morrer 
Cheguei ao fundo do poço, sem saída 
Sempre o meu coração voltou a crer 
E trouxe-me de volta para a vida... 


Nos momentos em que eu fui tão fundo 
E me afoguei em densa realidade 
Foi o lado mais doce do meu mundo 
Que aplacou toda a minha tempestade... 


Na balança confusa um coração 
Em busca de algum porto pra atracar 
Eu procuro algo mais que uma ilusão 

Motivos que me façam navegar 
E sonhos dos quais não vou abrir mão 
Me sustentam, e assim vão me salvar 


Além das Siglas - NLC Poesias 










segunda-feira, 20 de junho de 2016

VERSOS IMPETUOSOS


Então sinto-me livre de novo
Com minha poesia libertina
Fogo que me queima o corpo
Arrepiada de adrenalina...

Escrevo um verso impetuoso
De subversiva palavra inundada
E sinto incendiado o meu corpo
Inundado por letras molhadas

Assim toca-me a palavra inflamada
E arrebata-me em brusca inspiração
Sutilmente pela língua deslizada
Quente lambendo os meus vãos

Lubrificando a minha poesia
Incendiando a minha imaginação
Desnudando a minha fantasia
E vestindo-me de doce paixão

(NLC Poesias)