frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

segunda-feira, 14 de março de 2016

VERSOS DE VERDADE



Vão embora versos meus
Sumam da minha mente
E nas noites escuras de breu 
Quando serena novamente
Vou apenas meditar
Não quero mais versar

Digo adeus à poesia
Sem rascunho nem esboço
Nem fundo do poço
Adormeceu minha inspiração
Aquietei meu coração
Dei ouvidos à razão

Agora seguirei calada
Verei a vida passar
Sentada na calçada
E quando doer a saudades
Vou reler pela metade
Os meus versos que diziam só verdade


(Além das Siglas)


4 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Que teus versos digam sempre elas e que novos versos sempre possam surgir neste teu ser repleto de purezas Nara.. beijos meus poetisa.. sempre encantadora no teu versar

Maria do Carmo Multary disse...

Belíssima poesia! Como sempre, minha linda amiga, poetisa, Nlc Poesias. Saudades. Bjs.

Maria do Carmo Multary disse...

Belíssima poesia! Como sempre, minha linda amiga, poetisa, Nlc Poesias. Saudades. Bjs.

Maria do Carmo Multary disse...

Belíssima poesia! Como sempre, minha linda amiga, poetisa, Nlc Poesias. Saudades. Bjs.