frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

domingo, 10 de abril de 2016

DEGREDO


Construí as minhas cercas
Onde prendi meus segredos
Cobri minhas pegadas de letras 
Pra cumprir o meu degredo

Nas entrelinhas tantos sinais
Que escrevia todos os dias
Em meio a consoantes e vogais 
Cuidei de fazer minhas poesias

Descumpri regras gramaticais
Pus reticências onde não cabia
Aprendi a usar os pontos finais
Para soltar o laço que me prendia


(Além das Siglas - NLC Poesias)


Um comentário:

O Escritor Randômico disse...

Muito boa! Descreve muito bem a evolução de alguém que usa bem as palavras.
Eu ainda uso reticências... é um vício!