frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 21 de abril de 2016

ENTRE NÁRNIA E PASÁRGADA






Vou- me embora para Nárnia!

Lá o Grande leão Aslam é o rei

É bem mais longe que a Ásia

E coroada princesa eu serei



Vou-me embora para Nárnia!

Lá a magia é corriqueira

Terei ninfas e faunos como amigos

Lutarei contra a branca feiticeira

E lá eu saberei quem são meus inimigos...

Na eterna luta entre o bem e o mal

Minotauros, sátiros e unicórnios

São soldados num exército surreal...



Em Nárnia eu quero morar!

Lá viverei em um castelo

Um jardim em terra árida hei de plantar

Nárnia é um universo paralelo

Pra onde eu quero fugir

Lá nascem flores sem espinhos

E poderei colhê-las sem me ferir.

E se por acaso sentir alguma dor

Que seja no corpo ou na alma

Há sempre doses generosas de amor

Que é o antídoto que nos cura e acalma.

E quando na madrugada sentir saudade

Daquela saudade que dói e machuca

Pedirei a um cometa por caridade

Que a leve em sua cauda como chuva



Se a ti parecer bobagem estas palavras

O querer viver em Nárnia dessa maneira

Eu lhe digo que é como ir para Pasárgada

E o culpado disso tudo é o Bandeira


Além das siglas - NLC Poesias















2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Poema lindo de mais! Amei...


Bom fim de semana.
Beijinho

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Samuel Balbinot disse...

Boa noite querida Nara..... mas muito bem detalhado, rimado..
rimas ricas e expressivas..
a poesia nos permite tudo..
e nós temos este poder de criar, de fazer acontecer..
fizeste algo que ainda não fiz.. transformar filme em poesia...
tem muito trabalho pela frente... muitos filmes para retratares..
que seja linda tua noite beijos meus