frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 14 de abril de 2016

MEU POEMA SEM VERGONHA



Faço hoje um poema sem vergonha
Um poema sem honra
Perdido, sem direção
Trago em versos a nossa nação
Cubro meu rosto pra não ver
Sinto no peito desprazer
Porque meu país é mais que isso
Está acima de siglas e partidos
Interesses, conchavos e desvios...


E hoje quem julga também é investigado 
E no final todos são culpados
Os erros são sempre os mesmos, nada mudou
Só mudou o lado de quem roubou...
E o povo sofrido, iludido e perdido
Vê um jogo de interesses sem precedentes
A esperança jaz em meio ao conflito 
Nada muda, mesmo que se mudar de presidente
Saem esses, entram aqueles... tanto faz!!!
Já roubaram por anos mas ainda querem mais

Por muito tempo saquearam a nação
Corrupção não nasceu na Petrobrás
Vejo nas manchetes de antigos jornais
São os mesmos problemas sempre atuais
E a gente se pergunta: Qual é a saída então?
Não é partido, não são bandeiras ou bancadas
É a lei que tem que ser mudada
E pensar que na China e Coreia do Norte
Esse crime se paga é com pena de morte
No Brasil 02 a 12 anos, e delação premiada
Tudo parece mesmo uma piada

Precisamos hoje de caráter e honradez
De pessoas dignas e comprometidas com a verdade
Acabar com os votos de estupidez
Mostrar à Pátria amor e lealdade
Ou devolver a terra aos índios de uma vez!!!!


NLC Poesias


Um comentário:

Anônimo disse...

Tenho lido seus textos, suas poesias. tudo é de uma leveza e um bom gosto muito grande. É bom saber que temos companhia de pessoas assim tão sensíveis e inteligentes. Parabéns!!!