frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 26 de abril de 2016

VERSOS INCOMPREENDIDOS




Eu sou uma estrofe apenas
Escrita um pouco a cada dia 
Queria ter nascido um poema
Mas nasci rascunho de poesia

Ainda sou verso a escrever
À procura das letras corretas  
Se não me entendem ao me ler
É por ainda não estar completa


Já tomei sopa de letrinhas no jantar
Já comi pão com lágrimas na madrugada
Já tentei metricamente em sonetos versar
Mas a verdade é que sou mesmo inacabada

Quisera ter nascido um poema claro e bonito
Desses que os sentimentos  fácil se exponham
Mas sou versos surreais e tão incompreendidos
Aos olhos letrados das pessoas que não sonham

(Além das Siglas - NLC Poesias)

Também em áudio


Um comentário:

Cidália Ferreira disse...

Soberbo, este poema
Amei demais! Identifiquei-me no poema!

Beijinhos e um dia feliz

Coisas de Uma Vida 172