frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 24 de maio de 2016

DIAS ASSIM




Há dias em que amanheço assim
Querendo não levantar, mas já é dia
Acordo com saudades em mim
Saudades da minha poesia

E é  tamanha a saudade
Saudade de mim mesma!!
E é uma tamanha vontade
De encontrar na vida beleza

Saudade de me amar e me querer
Saudade de viver os sonhos
E simplesmente poder me ser
De ser  o verso e a rima que companho

Mesmo que me falte concordância
E me perca entre o verbal e nominal
Detalhes indispensáveis ou sem importância
Não sei. . .   Mas não me faz mal

Por entre as letras de um poema
Posso ser a minha melhor companhia
Ser um detalhe, ser fonema
Ser completa . . .  Ser poesia!

Há dias em que brigo comigo
E questiono as coisas inquestionáveis
E nesses dias sofro o castigo
Por desejar coisas inalcançáveis. . . 

Além das Siglas - NLC Poesias

3 comentários:

NILL CRUZ disse...

Quando buscamos nossa poesia, estamos em busca de nós mesmos, e a gente sempre se reencontra nas palavras, né. Lembrei-me do meu texto: A AUSÊNCIA DA POESIA.

Cidália Ferreira disse...

Bom dia
Maravilhosa a sua poesia! Adorei

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Teacher Angelo disse...

Sua poesia lida assim... revela algo magistral (e especial):

Há dias em que amanheço assim
Acordo com saudades em mim

E é tamanha a saudade
E é uma tamanha vontade

Saudade de me amar e me querer
E simplesmente poder me ser

Mesmo que me falte concordância
Detalhes indispensáveis ou sem importância

Por entre as letras de um poema
Ser um detalhe, ser fonema

Há dias em que brigo comigo
E nesses dias sofro o castigo
Por desejar coisas inalcançáveis...