frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sábado, 10 de setembro de 2016

MORRI BOTÃO EM FLOR


Morri!! E sei bem como e porque


Morri sozinha sem você

Não sei o dia nem a hora
Só sei que morri
Morri viva, 
Vivi a vida
Te esperei,
Cansei...

Agora as flores choram tristes soluços profundos
Chora a palhaça,  poeta, de sentimentos  vagabundos
Choro rios, montanhas, aos olhos do mundo.
Mas o meu coração não!

Porque morri pelas suas ausências e desamor 
Morri quando ainda era botão em flor
Desbotei,
Murchei, 
Desenraizei, 

Faltou-me água
Luz, calor.
Faltou-me o seu amor...
Morri!!!

Mas foi há tanto tempo
Sensação que hoje eu nem me lembro
Já morri quando foi embora
Não preciso morrer de novo agora . . .

(NLC Poesias)

Um comentário:

Cidália Ferreira disse...

Poema muito bom. Parabéns,

Um sábado muito feliz
Beijinhos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/