frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

VERSOS CONOTATIVOS





Quando me firo nos espinhos
Eu os retiro, sem problema
Mas percebo em meu caminho
Que alguns só saem num poema 


Espinhos que machucam e dilaceram 
Que a vida nos dá de forma triste 
As palavras, inquietas se desesperam 
Em busca de uma rima que ainda não existe 


Eu sei que para viver entre as rosas 
A tantos espinhos, dia a dia sobrevivo 
Transformo minha dor em poesias e prosas 
Além das Siglas. . . Em versos conotativos 


(NLC Poesias)

Um comentário:

Cidália Ferreira disse...

Lindo...Intenso!

Beijo de boa noite

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/