frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

(IN)CONTIDAS LINHAS



Nas páginas do meu livro tenho lido
Folheado toda noite com cuidado
Os desejos e anseios esquecidos
Que apenas a um toque é revelado

Com os dedos (re)descubro lentamente
Leio em braile os sinais nas entrelinhas
Entre as folhas eu descubro então somente
O gozo, como as letras (in)contidas nessas linhas

Alem das siglas - NLC Poesias

6 comentários:

Escreverati De Luca disse...

Ao seu leito
à noite
aprecio você
levar à cama o que se lê
e a prática do que se escreve
Suas mãos dedilham
palavras
páginas
pelos
derme
em suas linhas
(in)contidas...

Cidália Ferreira disse...

Fantástico, maravilhoso!!

Beijinhos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Sony Azevedo disse...

Belo, muito belo com toques sensuais. Muita luz e paz. Aproveito para desejar-lhe um feliz Natal e um próspero Ano Novo, extensivo aos familiares. Luz e paz. Beijo no coração

Cidália Ferreira disse...

assei para;
Que o este Natal seja de: Paz...Amor...harmonia, no aconchego familiar, sem entrarmos em exageros...Principalmente, que tenhamos saúde. Extensivo aos vossos familiares e amigos.
Que todo o Mundo tenha direito ao Natal... BOAS FESTAS.

Teacher Angelo disse...

Que poesia esplendorosa! Assim como você, sempre esplendorosa! É um prazer magnífico vir aqui e me deleitar em seus versos! Bjos

Teacher Angelo disse...

Que poesia esplendorosa, assim como você! É sempre um enorme prazer vir aqui e me deleitar em seus versos. Adoooro de paixão! Bjoss