frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

ANTIGAS VIAS



Agora preciso voltar 
A andar por antigas vias,
E de novo encontrar
Minhas antigas alegrias


Além das siglas

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

DESESPERADAMENTE MUDA


Faço um minuto de poesia
Quando o silêncio mais alto me dói

Do que a palavra vazia

De sentimentos que o coração corroi.

E repito o mesmo verbo incansavelmente
De dor e desespero em mudo grito
Até que o poema se canse de ser diferente
E adormeça em um verso mal escrito...

Pra eu poder libertar os meus "ais "
Gritar todas as dores num segundo
E os meus versos se tornarem reais
Meus pobres versos vagabundos,
Como tantos outros, doloridos e iguais
Aprisionados por silêncios tão profundos...

NLC Poesias - Além das Siglas
NLC Poesias

domingo, 14 de fevereiro de 2016

MUDANÇAS







Mudei esses anos
E também mudei meus planos
Mudei de repente, num belo dia
E terei que mudar minha fantasia
E deixá-la ir embora
Talvez seja o melhor agora...




É hora de  reciclar
Ter um novo olhar
E um novo andar
Até mudei de sorriso
Mas nem me dei por isso
De mim mesma eu mudei
E o velho eu já se perdeu
E um outro ainda não encontrei
Mas continuo a procurar

NLC Poesias

sábado, 13 de fevereiro de 2016

A FOLIA DA PAIXÃO



Nascem em meio aos confetes da folia

Os amores e desejos de carnaval


Vestindo o corpo e a alma de fantasia

Apaixonados de uma forma surreal 



Na libido, no prazer se entorpecem sem pudor 

Virando dias e noites num aparente eterno amor 

Obedecendo os instintos esquecendo o que dizer 

A voz que fala é a do querer no bacanal do bem viver



São dias e noites de um amor profundo e insano

São loucuras de prazeres, saciando sede e fome

Guardando na lembrança esse amor efêmero e profano 

De toques, salivas e suspiros, sem endereço ou sobrenome



E nesse climax de sensações, lembranças, se eternizam as emoções 

Num momento passageiro de intensas relações 

O amor se torna prosa e o sexo poesia 

Psiquê entregue à eros sem ter medo na folia


NLC poesias  & Ivson Lorenzo


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

GRITOS NO PAPEL




Rabisquei palavra por palavra
Com um sentimento profundo
Que em minha voz calava
E mostrei-o ao mundo:
Num poema mal escrito
Que no peito vivia mudo
Mas os versos feito gritos
Rabiscados com meu fel
Só em rimas foram ditos
Numa folha de papel...

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

ENQUANTO A CHUVA NÃO CAI



O coração tão apertado

E a alma em desalento

O céu triste e carregado

Tão pesado quanto o vento

Que não acaricia... Açoita

Corpos e almas cansadas

Arranca das árvores as folhas

E deixa as flores despetaladas!
.


E parece que todo mundo

Faz silêncio em agonia

Esperando do céu de chumbo

Uma tempestade de poesia

Que lave as sujeiras em segundos

E nos encharque de alegria...

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

VERSOS AO VENTO



Senti uma tempestade chegando
Bagunçando meu pensamento
E minhas palavras silenciando...
Então atirei-as ao vento!!

Desejei que se espalhassem
E que voassem por  sobre o mundo
Para que  bem longe elas  chegassem
E que as letras fossem livres disso tudo.


E quando a chuva suave leu meus sentimentos
Transformou em  versos  as palavras que escrevi
E fez do que antes era apenas um lamento
Estrofes suaves e belas de se ouvir.


As madrugadas tornaram-se então serenas
E meus versos e rimas novamente em sintonia,
E aquelas  palavras que eram confusão apenas
Agora ecoam pelo vento em forma de poesia...

(NLC Poesias)

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

ALQUIMIA DAS LETRAS


Encontro na caneta
A alquimia em punho
Um voo de borbo(letra) 
A ressoar no rascunho


Os versos assim como as flores
Enfeitam os galhos da poesia
Com rimas de todas as cores
Que no voo da borbo(letra ) se cria

NLC Poesias