frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

NÁUFRAGA DA POESIA


Encontrei a poesia entre linhas
Sob o brilho intenso da lua,
Bordei com emoções tão minhas
Expostas em minha pele nua

Dormi navegando em mar de letras
E acordei náufraga da minha poesia
Amarrei as palavras em linhas negras
Amordacei a dor que em mim vivia

Mas a cor agora já não me interessa
Negras ou brancas, já não colorem os versos
Sem o brilho dessa lua, eu já não tenho pressa
É no escuro que agora eu conjugo os meus verbos


(NLC Poesias- Além das siglas)

domingo, 6 de agosto de 2017

PALAVRAS INVENTADAS



Diga-me umas palavras inventadas
Dessas que não foram ainda escritas
Faça-me sentir então renovada
Que eu esqueça todas as palavras já ditas (NLC)


Meu riso vê tua volta
Uma palavra nova clamando
Meus versos “silemudos”
Vão por ti “poesiando” ( Nil)


Teus versos “silemudos” adorei
E embarco nessa poética viagem
Um universo de “letrimas” inventarei
Criando um mundo de “poemagem” ( NLC)


“Poesiando” o viver
"Vi, ver" é meu intruso estar
Entre “Minutilêncios”
Contando gestos 
“Ex'ato” modo de “escritar” (Nill)


“Poesiando” então essa “realidura”
Novo dialeto que a gente cria
Que nos toque o ouvido com brandura
Doces e irreverentes versos dessa “libersia” ( NLC)



NLC Poesias e Nill Cruz

(significados)

Silemudos: silêncio mudo
Poesiando: tornando-se poesia
Letrimas: Letras e rimas
Poemagem: Poema imagem
Viver = Vi, Ver
Minutilêncios = Minutos e silêncios
Ex - Ato = Exato
Realidura: Realidade dura
Libersia: Liberta poesia



Neologismo é um fenômeno linguístico que consiste na criação de uma palavra ou expressão nova, ou na atribuição de um novo sentido a uma palavra já existente



Neologismo 

Beijo pouco, falo menos ainda. 
Mas invento palavras
que traduzem a ternura mais funda
E mais cotidiana.
inventei, por exemplo, o verbo teadorar.
Intransitivo
Teadoro, Teodora.

(Manel Bandeira) 

segunda-feira, 24 de julho de 2017

BÉLICA POESIA




Imagine que louco seria
Se todas as guerras violentas
Pudessem a partir desse dia
Em vez das armas sangrentas
Bombardear a terra de poesia...
Então versos novos se inventaria
Para abastecer esse bélico amor
Que do céu caindo explodira
Provocando um intenso clamor
Clemência!!! E o inimigo se renderia
E nunca mais haveria dor
Seria distribuído a todas as nações
Seriam armazenados como armas
Estoques de contaminados corações
De versos, rimas em doces palavras
Provocando perigosas inspirações
E tornassem a todos uma só raça...


NLC Poesias
 

quinta-feira, 20 de julho de 2017

MISTURA IMPERFEITA




Onde nasce o sentimento
Onde a dor é rarefeita
Se às vezes eu lamento
É que de barro eu fui feita
Mas por fora sou de ferro
Sou mistura imperfeita.
E nesse processo sempre erro
Onde em químicas reações
Sou mero material genético
Em constantes mutações....

Em dias de versos amargos
Exalo o meu ar nefasto
Desculpem-me os leitores
Se as palavras são tão duras
É porque as minhas dores
Inda sentem as suturas
Mas hão de cicatrizar
E belas frases hei de rimar.

NLC Poesias - Além das Silglas

quarta-feira, 5 de julho de 2017

PALAVRAS CAMUFLADAS




Já mandamos tantas naves ao espaço
A navegar perdidas por esse universo
E essas palavras que pensando traço
São espaçonaves camufladas em verso

Viajando num tempo que ainda há de existir
Com os pensamentos que me vem agora
Transpasso épocas que um dia hão de vir
com palavras que encontro pelo mundo afora

Então gravo no papel meus pensamentos
Entre os versos e rimas há saudades
Que vivem apenas o instantâneo do momento
Forjando assim essa minha realidade

Fossilizo a ampulheta do senhor tempo
E eternizo entre versos minha vontade
E à bordo dessa nave-sentimento
Sigo em busca dessa tal felicidade


NLC Poesias – Além das Siglas

sábado, 1 de julho de 2017

ENTRE ASPAS



Vivo entre aspas
Fugindo das palavras
Que  arrancam minhas asas...

NLC Poesias - Além das Siglas

segunda-feira, 19 de junho de 2017

MOMENTOS

Beijos pousados

Carinhos desejados

 Os corpos suados

pelo prazer da noite saciados

Depois de tantos gemidos

e dos toques recebidos

dos beijos, do amor

ainda na boca o teu sabor

No entender da cada momento

eu e tu somos vento.


NLCPoesias - Além das Siglas

domingo, 18 de junho de 2017

POESIA DO DIA A DIA



Tenho versos abstratos, de sonho
Só escrevo porque, às vezes, 
o mundo me parece enfadonho
Então enfeito-o com meus dizeres

Mas sou uma poesia que levanta cedo,
Toma café com pão e vai trabalhar
Pega um ônibus lotado, mesmo com medo
Só de tardinha pra casa vai voltar

Minha poesia fala a língua do povo,
Transpira amor, ódio, lamentos
E todos os humanos sentimentos:
Sou uma poesia de carne e osso.

NLC Poesias - Além das Siglas




sexta-feira, 16 de junho de 2017

A POESIA QUE ME SALVA



Vejo a cidade com os olhos da poesia
Em noites nubladas sem lua nem clarões
Na praça penumbra, música e alegria
Rodeadas de casinhas brancas e velhos casarões
Quietas, parecem guardar segredos
Meninas à noite brincando nas ruas
De nada tem medo,
Brincando com a lua...
E há velhinhos nos bancos sentados
E pessoas que olham pelas janelas
E na penumbra jovens namorados
Trocam carícias em noites tão belas...


Atrás desses versos  tem outra realidade
Vejo a cidade com os olhos da verdade
A praça escura com lâmpadas queimadas
Escondem seus muros pichados, na realidade
Não é bela essa praça nem a noite enluarada.
E são fechados  a cadeados os portões
Trancas nas portas e grades nas janelas
Reféns da eterna luta: polícia e ladrões
E no escuro da rua o tráfico, a guerra:
Batidas do funk estremecem a madrugada
Meninas ainda crianças no meio da rua
Os velhos bêbados nos bancos da praça
E eu cansada dessa realidade tão dura

Atrás desses versos tem uma fantasia

Que me salva de morrer um pouco a cada dia
Leva-me pra longe, nas asas da
poesia
Ensina-me a ver um mundo de magia

NLC Poesias - ALÉM DAS SIGLAS

quarta-feira, 14 de junho de 2017

ESCOLHAS



Sei de letras enroladas
em folhas de jornal
 Sei de escolhas disfarçadas
 entre o bem e o mal.
 São bolhas estruturadas
 Pelo vento são levadas
 E se desfazem ao natural.
E nossas escolhas guardadas
perdidas nessas estradas
caladas até o final.
 Apenas escolhas
algumas nos fazem bem, outras mal...
 
NLC Poesias

quarta-feira, 7 de junho de 2017

SÍNTESE DO PRAZER




Síntese de lábios e beijos 
Sinas de amor e desejo 
Fogo ardendo por dentro
Lírico amor sem pejo  (Edy)


Sigo o caminho por seu corpo
A cada centímetro percorrido
Na ponta da língua o seu gosto
Desvendo atalhos escondidos  ( NLC)


Fico atento aos seus sentidos
Desperto minuciosos gemidos 
Orgasmos inéditos e renascidos 
O seu prazer sacia a minha libido  ( Edy)



E faço de cada movimento uma tortura
Lentamente quase te faço sofrer
Mãos e lábios que te levam à loucura
E o alvo dessa busca é só prazer  ( NLC)


NLC Poesias  & Edy simão




segunda-feira, 5 de junho de 2017

VENTO DE POESIA



Sou momento

Me transformo a cada dia

Brisa ou lamento 

Também sou ventania

Mas tento

Me vestir de poesia

Lento ou violento

Tempestade ou calmaria

Meu caminho eu (re)invento

Entre a realidade e fantasia


NLC Poesias (Além das siglas)







sábado, 20 de maio de 2017

DIAS DE PÁSSARO



Há dias em que sou pássaro 
E quero alçar voo ao infinito
Fugir de um mundo que não me cabe 
Onde posso ser silêncio ou grito.


Então de repente encontro o riso,
Escondido entre a lua e as estrelas,
Mas levo tanto tempo pra perceber isso
Talvez leve uma vida inteira.

Sou alma presa em um corpo
Sou o impossível de imaginar 
Sou resultado de um mundo louco 
Sou verso tentando rimar

NLC Poesias - Além das Siglas


domingo, 14 de maio de 2017

AMAR É ASSIM




Amar é um verbo intransitivo
E se perde na raiz do próprio ser
Sozinho nunca tem sentido
E se conjuga só para não se perder
Tão inconstante quanto o infinitivo
De um verbo qualquer a escrever
Amar é um verbo indefinido
Além do modo e do tempo
É passado sem nunca ter sido
Contêm rimas que confundem o pensamento
Amar é mesmo assim, versos e versões
É um livro com início e sem fim
É um jogo com várias interpretações
Com regras incompletas e sem fim.

NLC Poesias


quarta-feira, 10 de maio de 2017

A LUA É TESTEMUNHA


Eu faço versos como quem rouba

Calada para que ninguém os ouça 


Eu guardo por baixo da minha  roupa


Palavras que nunca chegam a boca



Eu escrevo como meliante

De capuz, máscara e luva 

Eu escrevo sem flagrante

Em noites frias de chuva


Às vezes penso em me calar

Amordaçar minhas palavras

Deixar a minha rima descansar

E guardar as minhas asas



De voar pra muito longe tenho medo

E tento esconder  minhas pegadas

Mas me pego  cometendo o mesmo erro,

Planejando outro crime em palavras


Só a lua tenho por   testemunha

Das dores que são só minhas

Vendo as letras que eu sempre compunha

Tornou-se  álibi da minha poesia


NLC Poesias

segunda-feira, 8 de maio de 2017

O ADEUS AO POETA...




Ele gostava de pensar...
E assim entender a vida
Ele queria um dia voar
E voou através de sua escrita
Entre versos, contos e crônicas
Sempre a expor sua opinião
Com letras alegres por vezes irônicas
Fazia rir e também tocava o coração
Nunca estamos preparados para a despedida
Mesmo sabendo da sua intimidade com Deus
A saudade vai fazer a vida mais dolorida
Agora em sua escrivaninha apenas o silêncio do Adeus!!

(NLC Poesias)


O poetamigo Professor Ilmar, publicava seus escritos no Recanto das Letras, onde contêm 2073 escritos entre as mais diversas formas e estilos literários, somando 527544 leituras
http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=103506


segunda-feira, 1 de maio de 2017

MEU MUNDO EM CONSTRUÇÃO



Tenho o meu mundo paralelo
Que gira em outra  velocidade
Onde o dia é sempre mais belo
Em noites quentes chove felicidade

Nesse meu mundo existem outros valores
E as portas estão abertas de par em par
Mas detectores barram os que trazem dores
Por isso nem todo mundo consegue entrar...


E entre os que aqui vivem há sintonia
Estamos em constante evolução
Só nos alimentamos de versos de poesia
E coisas que fazem bem ao coração

Não é um mundo perfeito, mas em construção.
..

NLC Poesias

sábado, 22 de abril de 2017

O QUE FIZEMOS DO AGORA





   Era quase ontem . . . 
A gente feito poesia
Com as palavras lutando
Sendo noite, 
Sendo dia.
Sendo instante
Sendo nós
Com alegria (Nill)


Era quase poesia . . .
E a gente vivia na realidade
Lembranças de uma utopia
Sonhando pela metade
Restos de fantasias
E fizemos do agora
Apenas palavras vazias
Só restos de sonhos de outrora (NLC)


   Eram quase versos...
Os livres sonhos
Os gestos risonhos
A alma rabiscada
    Na palavra declamada (Nill)

Era quase um grito...
Calado por tantos gestos 
Na extensão dos verbos
Palavras ganhavam vida
      Completando a mesma escrita ( NLC)


NLC Poesias & Nill Cruz

quinta-feira, 13 de abril de 2017

DOIS NÓS



Assim somos nós 
Caminhando Lado a lado
E no entanto tão sós

Apenas  um nó
Tão apertado
Sem dó!

Presos num laço
Num embaraço
Que se prendeu em nós

Assim somos nós
Presos em nós
E tão sós...

NLC Poesias - Além das Siglas



terça-feira, 11 de abril de 2017

VERSOS ALÉM DE MIM



Ontem rezei sem esperança
Descrente dessa hipócrita sociedade
Enojada com tanta maldade
Conceitos, preconceitos, alianças 
O mal já não se pratica em segredo
Desse mundo envenenado tenho medo. 

Ontem, ao anjo eu pedi perdão 
Pelas impurezas que havia em mim
E pedi a ele por piedade, então
Que me levasse um pouco além de mim
Me emprestasse asas para um voo belo
E voando sobre  casas, eu vi castelos

Também vi luzes, cruzes e miséria
Vi fome, vi morte, vi a guerra
Vi pessoas afogadas em rancor
Vi corações vazios de amor
Vi rios triste morrendo sem socorro
Vi Barracos pendurados no morro 

Perguntei então ao anjo
D’onde vinha tamanha desigualdade?
O anjo triste disse-me em desencanto
Que isso era resultado da maldade
Que entrara um dia nos corações humanos
A ganância e poder nos tornaram insanos

Então pedi ao anjo conforto
Que acalmasse meu coração aflito
Descansei em tuas asas o meu corpo
Encontrei refrigério pro coração dolorido
E quando pensei que nada mais valia a pena
Aprendi a transformar as dores em poemas.

NLC Poesias - Além das siglas

quinta-feira, 6 de abril de 2017

ETERNA BUSCA




Despi-me de esperas tantas
Nessa imensidão de mim
Essas certezas de esperanças, 
Fazem com que me sinta assim 
Como histórias de crianças, 
Que conto apenas pra mim

Minh'alma é mar onde navego, 
Mar sem rumo, mar sem fim, 
Divido-me em partes e me entrego 
Navego esse mar de ondas ... Enfim!!
 Ondas que me levam onde eu me nego 
 Numa eterna busca por mim!

NLC Poesias - Além das Siglas

terça-feira, 4 de abril de 2017

POEMA DE OUTONO




E o outono então chegou
Sem que por ele eu esperasse
Com um vento gélido me tocou
Fez com que eu procurasse
Entre as folhas caídas do verão
Uns versos que nunca escrevi
Como poemas, espalhados pelo chão
Contendo rimas que nunca vivi.


NLC Poesias

terça-feira, 21 de março de 2017

VERSOS À FLOR DA PELE



Há por baixo da minha pele
Tantos caminhos insuspeitos
Tatuagens sob a epiderme 
  Que traduzem meus desejos (NLC)




Há na minha pele atalhos
Que nunca foram explorados
Nua, me exponho ao orvalho
           Por que nunca os macularam?( Anna)




Por baixo da minha pele 
Há um jardim permitido 
Um desejo que me impele 
         E me inunda de fluídos (NLC)


Há na minha pele fertilidade
Uma ânsia de ser tocada
Mãos hábeis trariam saciedade
               A flor do amor seria brotada(Anna)


Por baixo da minha pele há arrepios 
Uma sede que água nenhuma sacia 
Que deságuam em intensos rios 
       E molham os versos da minha poesia ( NLC) 


Há na minha pele um mar revolto
E uma ânsia de mergulhos viscerais
Traduzo em versos tempestuosos
             Os meus desejos carnais  (Anna)


(NLC Poesias & AnnaLuciaGadelha)



sexta-feira, 10 de março de 2017

VERSOS DE NÓS DOIS






Poetizo a saudade: em teu corpo me encontro
entre versos me exponho ao teu suave prazer
 e a poesia que invade são teus lábios (meu sonho)
deslizando nas tardes do nosso querer 



Poetizo palavras como aquelas de outrora 
Cobertas de sentimentos dos pés à cabeça 
Entre as letras, há um verbo que ardente implora 
E vibra, a cada rima que o verso lateja 



E abrem-se as pétalas de tua pele . . . Agora
cubro-te deste amor que floresce em teu ser
atiça-me com tua vontade (o meu verso adora!) 




E minha pele flameja arrepiada a estremecer 
Pois os teus dedos são laços que no poema aflora
O meu verbo implora . . .  Agora . . . O teu querer 




NLC Poesias & Emanuel Angelo

Também em áudio

domingo, 5 de março de 2017

BEBA-ME



Beba-me

De gole em gole

Com sede 

Me engole . . .

Deseja-me

Em teus lábios quentes

Saboreia-me

Lentamente.

Ceda

À sede de me ter

De gole em gole

Vou te entorpecer 




ALÉM DAS SIGLAS - NLC Poesias